fbpx Vascular | Curso OsiriX
Back to Top

Vascular

Uso de adoçantes

Vascular.pro - qua, 01/04/2023 - 19:59

Nesse artigo vou te falar tudo o que você precisa saber sobre o uso de adoçantes.

Se você está se perguntando se usar adoçante é saudável, se o adoçante faz mal a saúde, qual é o melhor tipo para adocicar sua comida, então com certeza esse post será útil.

Aqui vou sanar as principais dúvidas relacionadas ao uso de adoçantes.

Confira abaixo tudo o que você precisa saber antes de optar por usar adoçante.

Uso de adoçantes pode ser saudável.

O uso de adoçantes pode ser saudável quando bem escolhido, além disso, quando é feito o seu uso correto.

Tudo em excesso pode ser prejudicial, inclusive o adoçante, portanto, cuidado para não exagerar na hora de usar adoçantes.

O adoçante é muito ligado à perda de peso, no entanto, segundo pesquisas, a perda de peso em adultos que consomem adoçantes, apesar de existir, é irrisória.

Porém, o mesmo estudo percebeu um efeito notável na redução da pressão sanguínea em adultos com sobrepeso, o que em questão de saúde também é vantajoso.

O uso de adoçantes faz mal

Como dito anteriormente, tudo em excesso faz mal, ou seja, o uso exagerado de qualquer adoçante pode fazer mal.

Ou seja, é mito a informação de que o uso de adoçantes sempre faz mal a saúde. Consumir o adoçante correto, da maneira adequada é seguro a saúde.

Além disso, é crucial ficar atento se possui alguma doença em que o uso de determinados adoçantes não são seguros.

Por exemplo, no caso da doença rara e genética conhecida como fenilcetonúria não pode consumir adoçante do tipo aspartame.

Porém, os adoçantes do tipo estévia podem ser consumidos.

Qual é o melhor adoçante

Em primeiro lugar, é necessário saber que existem adoçantes naturais e artificiais.

Alguns exemplos de adoçantes naturais são:

Stévia

Vem da planta Stevia rebaudiana, além disso, seu poder de adoçar chega a ser 400 vezes maior que o do açúcar.

Pode ser encontrado no rótulo também como glicosídeo de esteviol ou rebaudiosídeo de esteviol.

Xilitol

Vem da fibra de cogumelos ou algumas frutas e vegetais, por exemplo, ameixa, framboesa e milho.

É bem parecido com o açúcar quando se fala de visual e sabor.

Eritritol

É feito a partir da fermentação da sacarose, além disso, é bem parecido com o xilitol no quesito sabor.

Monk fruit

Vem de uma espécie de melão conhecida como fruta do monge.

O suco da fruta passa por um processo para ganhar formato de cristal.

Já os artificiais são:

Sucralose

A cana de açúcar é utilizada como matéria prima inicial, porém, esse adoçante é feito a partir de vários processos químicos em laboratório.

Aspartame

É feito a partir de dois aminoácidos, o ácido aspártico e fenilalanina.

Acima de tudo, não deve ser levado ao fogo, já que em altas temperaturas esse adoçante libera metanol, que é um composto tóxico.

Ciclamato de sódio

O ciclamato é um derivado de petróleo feito em laboratório, além disso, geralmente é misturado com a sacarina.

Acessulfame-k

Acessulfame-K é um sal de potássio produzido a partir de um ácido da família do vinagre, além disso, em alguns casos ele é misturado com ciclamato ou sacarina.

Sacarina sódica

Assim como o ciclamato, a sacarina sódica é extraída de derivados do petróleo.

Além disso, é misturada com o ciclamato.

E qual adoçante é o melhor?

Desses adoçantes o stévia é melhor, além de ser natural, é um adoçante extraído de uma planta nativa da América do Sul conhecida como Stevia rebaudiana.

O adoçante stévia além de ser seguro pode ser usado em preparações culinárias que vão ao forno e ao fogão, por exemplo, bolos, cremes e biscoitos.

Acima de tudo, é um adoçante que até mulheres gestantes podem consumir.

Benefícios

Que o adoçante stévia é natural você já sabe, o que já é um grande ponto positivo, porém, os benefícios não param por aí.

Confira abaixo alguns benefícios do uso de adoçantes do tipo stévia.

São eles:

  • Não contém calorias
  • Previne as cáries
  • Tem alto poder adoçante
  • Contribui para a redução da glicose no sangue.
  • Pode ser usada em bebidas e receitas.
  • Inibe a ação de microorganismos.
  • Mesmo em temperaturas elevadas as propriedades se mantém.
  • Possui efeito antioxidante
  • Excelente contra hipertensão
  • Possui efeito anti-inflamatório.
  • É excelente contra problemas renais.
  • Melhora na produção e secreção de insulina em pacientes com diabetes.

 

Contraindicações

O uso do adoçante stévia não tem contraindicações. Porém, é valoroso salientar que se deve sempre ficar atento a quantidade de uso diária indicada no rótulo, e tomar cuidado com os preparados que possuem diversos adoçantes em sua fórmula.

Acima de tudo, é sempre recomendado a opinião de um profissional, principalmente se você for incluir o adoçante na sua dieta pela primeira vez.

Além disso, se você possui alguma doença relacionada ao excesso de açúcar, também deve obter a opinião de um profissional.

O post Uso de adoçantes apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Kinesio taping

Vascular.pro - ter, 12/27/2022 - 17:54

O Kinesio Taping é uma técnica de tratamento físico que utiliza fitas adesivas especiais para aplicar pressão sobre os músculos, tendões e ligamentos de uma pessoa. Essas fitas são colocadas em padrões específicos na pele e são projetadas para ajudar a melhorar a circulação sanguínea e linfática, reduzir a inflamação e dor, e promover a cura e a recuperação dos tecidos moles. A técnica do Kinesio Taping foi criada pelo quiroprata japonês Dr. Kenzo Kase na década de 1970 e tem sido amplamente utilizada por profissionais de saúde, atletas e pessoas que buscam alívio da dor e melhora da função muscular. É comumente usada em conjunto com outras formas de tratamento, como terapia manual, exercícios e medicamentos.

O post Kinesio taping apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Como usar a cúrcuma?

Vascular.pro - ter, 12/27/2022 - 17:35
Sumário Dicas de como usar a cúrcuma.

A cúrcuma é um tempero comum em muitas receitas, especialmente na culinária indiana e asiática. Algumas dicas para incluir a cúrcuma em sua dieta incluem:

  1. Adicionar a cúrcuma em pratos de arroz ou quinoa para um sabor e um tom amarelo vibrante.
  2. Misturar a cúrcuma em smoothies para um boost de sabor e benefícios para a saúde.
  3. Adicionar a cúrcuma a sopas e caldos para um sabor adicional e um tom amarelo vibrante.
  4. Usar a cúrcuma em marinadas para carnes, frutos do mar e legumes.
  5. Misturar a cúrcuma em molhos, como hummus, ou em preparações de queijo para um sabor adicional.
  6. Adicionar a cúrcuma em bebidas quentes, como chá ou leite com especiarias, para um sabor adicional e benefícios para a saúde.

É importante lembrar que a cúrcuma é mais bem absorvida pelo corpo quando combinada com pimenta-preta, gordura saudável e uma pequena quantidade de ferro. Portanto, considere adicionar um pouco de pimenta-preta e uma fonte de ferro, como espinafre ou feijão, para acompanhar a cúrcuma em suas refeições.

Receitas famosas com cúrcuma

Aqui estão algumas receitas famosas que utilizam cúrcuma:

  1. Arroz tandoori: este prato é uma mistura de arroz temperado com especiarias, incluindo cúrcuma, com frango ou legumes grelhados.

  2. Curry de frango: um prato indiano tradicional feito com frango, cenoura, batata e cúrcuma, cozinhado em um molho cremoso de coco.

  3. Creme de abóbora com cúrcuma: uma sopa quente e reconfortante feita com abóbora cozida, caldo de legumes e cúrcuma temperada com outras especiarias.

  4. Smoothie de cúrcuma: uma bebida refrescante feita com leite de coco, banana congelada, cúrcuma e outras especiarias, misturadas em um liquidificador.

  5. Suco de laranja com cúrcuma: um suco refrescante feito com laranjas frescas, gengibre e cúrcuma, misturados em um liquidificador.

  6. Risoto de frango com cúrcuma: um prato de arroz cremoso temperado com cúrcuma e cozido com frango e legumes.

  7. Omelete de cúrcuma: um omelete temperado com cúrcuma e outras especiarias, cozido com ovos e queijo.

  8. Creme de cúrcuma: uma mistura de cúrcuma, leite e outras especiarias, cozida em fogo baixo até ficar cremoso.

Origem da cúrcuma

A cúrcuma é uma planta da família das zingiberáceas, originária da Índia e do sudeste da Ásia. Ela é conhecida por sua raiz, que é utilizada como tempero em muitas receitas culinárias, especialmente na culinária indiana e asiática. A cúrcuma é também utilizada em alguns sistemas de medicina tradicionais, como a medicina ayurvédica, como um remédio para uma variedade de condições de saúde. Além de seu uso culinário e medicinal, a cúrcuma também é usada como corante natural em alguns produtos alimentícios e cosméticos.

Descrição

Descubra os segredos da cúrcuma e como ela pode afetar a sua circulação com o doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato! Aprenda sobre os efeitos anti-inflamatórios, antioxidantes, anti-tumorais e hipoglicêmicos da cúrcuma e como ela pode ajudar a melhorar a sua saúde. Descubra também como a cúrcuma pode afetar a circulação e o que pode ajudar ou piorar essa condição. Confira as dicas de uso e preparo da cúrcuma e compartilhe o link com aqueles que você ama e quer bem. Não perca essa oportunidade de descobrir mais sobre a cúrcuma e como ela pode afetar a sua saúde!

Resumo

O texto fala sobre a cúrcuma, um tempero muito conhecido e apreciado por muitas pessoas, e sua relação com a circulação. O objetivo é esclarecer se a cúrcuma tem algum efeito na má circulação e o que pode ajudar ou piorar essa condição. O texto também menciona o uso da cúrcuma como tempero e seu baixo poder de absorção pelo corpo. A cúrcuma possui um efeito anti-inflamatório significativo e uma baixíssima toxicidade, além de ter propriedades antioxidantes, anti-tumorais e hipoglicêmicas. No entanto, é preciso ter disponibilidade no sangue para que os efeitos sejam sentidos. O texto também menciona que a cúrcuma pode ter efeitos benéficos na circulação, mas é preciso mais pesquisas para confirmar essa afirmação. No final, o texto menciona algumas dicas de uso e preparo da cúrcuma.

Transcrição

Olá, sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do  Instituto Amato e hoje eu vou falar sobre a cúrcuma que é um  tempero super conhecido, adorado por muitos e a relação com a  circulação, se tem efeito na má circulação e o que poderia  ajudar ou piorar. Fica comigo que até o final vou te dar até  dicas de uso, dica de preparo, como utilizar pra ter algum  efeito. Mas antes disso, pega esse link do vídeo, encaminha  pra quem você gosta e que quer bem porque isso aqui vai te  ajudar a melhorar a sua saúde. Me conta lá embaixo nos comentários,  você gosta de cúrcuma? Você costuma colocar cúrcuma na  alimentação? Lá em casa, por exemplo, a gente adora, né?  Arroz sempre a gente coloca cúrcuma, sempre tá colocando  sempre que possível. Tem o aspecto positivo disso aí, mas  tem que saber que o uso da cúrcuma como tempero,  ele é fraco, ele não tem todo esse efeito que eu vou  falar aqui. Então, a curcumina é o princípio ativo principal,  bioativo, né, da cúrcuma longa, que é o açafrão da terra,  também chamado de gengibre amarelo. Se você cortar no  meio, você vai ver que ele é bem amarelão no meio, tem essa  tonalidade exatamente por causa da cúrcuma. Ele é muito rico  em polifenóis e eu vivo falando de polifenóis aqui no  canal e do impacto dos polifenóis na saúde  vascular. No caso da cúrcuma, né? O polifenol mais  importante é uma classe, né? São vários, são os  curcuminóides. Quando usa a cúrcuma como tempero, ela  tem uma baixa absorção, então por isso que eu falei que  apesar da gente colocar no arroz… A gente teria  que colocar em toda alimentação pra conseguir absorver o  suficiente pra ter algum efeito. Apesar disso, a cúrcuma  já era utilizada há mais de três mil anos atrás como  tratamento. Já tinha sido descrito. Então, vamos começar  falando dos efeitos da cúrcuma, da curcumina no corpo, então o  principal deles e o mais conhecido é o efeito  anti-inflamatório. Quase todo mundo sabe que a cúrcuma tem um  efeito anti-inflamatório. Agora tem alguns trabalhos que  mostraram até que tem um efeito comparável com alguns  anti-inflamatórios não esteroidais até mesmo alguns  anti-inflamatórios derivados do do corticoide, então esse  efeito é significativo, a questão é que a gente tem que  ter a disponibilidade no nosso sangue, não adianta a  gente comer e sair tudo pelas fezes, né? A gente tem que  absorver e a grande vantagem comparado com o outros  medicamentos é que tem uma baixíssima toxicidade. O efeito  anti-inflamatório da curcumina, ele é muito complexo, ele vai  envolver várias citosinas, várias células diferentes,  várias proteínas. Eu vou tentar fazer aqui a forma mais  simples de explicar tudo isso. Eu já tenho um vídeo inteiro  sobre isso, né? A inflamação aguda, ela é boa, ela acaba  gerando reparo do nosso tecido, a inflamação não. A  inflamação crônica, ela faz mal. O efeito da curcumina é  primeiro nas citosinas pró-inflamatórias que acabam  desencadeando essa inflamação e inibindo a migração dos  macrófagos. Os macrófagos são parte do nosso sistema de  defesa, então essas células vão atrás de algum ataque no nosso  corpo e normalmente a inflamação significa que tá  acontecendo algum ataque, entre aspas aí naquele local. Então,  a curcumina acaba inibindo o fator de que é o TNF-alfa e a  interleucina-seis, que são fatores inflamatórios  significativos e ele também modula o nosso sistema imune.  Algumas pessoas acabam falando “ah, porque aumenta a imunidade.”.  Não, não é que aumenta, ele modula de forma que deixa numa  intensidade correta, nem pra mais, nem pra menos. Alguns  estudos mostraram até que ele aumenta os marcadores  anti-inflamatórios no nosso corpo e diminui os  pro-inflamatórios. Agora a curcumina tem outro efeito  também é muito conhecido, né? Que é o efeito  antioxidante. O efeito antioxidante, o efeito  anti-inflamatório, eles andam juntos. O que a curcumina  faz? Ela vai diminuir aquelas espécies reativas de oxigênio  que fazem parte da oxidação do corpo e preserva a função  mitocondrial. Mitocondrial é aquela organela que tem dentro  da célula que ela é responsável pela respiração celular e ela  que produz a energia da célula, então curcumina acaba  protegendo e preservando a função dessa mitocôndria. E  como que ela faz isso? Aumentando um mecanismo  nosso corpo que é a superóxido dismutase e dessa forma  aumentando nosso sistema de defesa da oxidação. Então a  oxidação é um fenômeno que acaba quebrando algumas  moléculas nossas e levando ao envelhecimento e a várias  doenças. Tem alguns trabalhos que mostraram efeito  bactericida, bacteriostático, antiviral, antifúngico. Eu não  vou entrar nesse mérito, se você quiser que eu fale disso,  por favor comenta lá embaixo que eu posso fazer um vídeo  sobre esse assunto, mas aqui eu tô falando da curcumina e a  sua influência na circulação. Afinal, sou cirurgião vascular.  Tem trabalho estudando a curcumina com câncer, curcumina  com com Alzheimer, diabetes, artrite, psoríase. Então, tem  todas essas doenças aí porque realmente é uma  substância bem interessante e com propriedades bem úteis pro  nosso corpo. Agora do ponto de vista vascular, eu vou buscar o  dano endotelial. Endotelial é aquela primeira camada de  células dentro da artéria. Então na parede do vaso, a  curcumina tem um efeito de diminuir esse enrijecimento da  parede vascular, a parede não fica tão dura, né? Que é  exatamente o processo de evolução da aterosclerose,  principalmente quando a curcumina é consumida junto com o  exercício físico, esse efeito é mais benéfico em pacientes que  tem também diabetes, esse efeito é benéfico, já foi  demonstrado em pesquisa científica, melhorando aí  vários dos parâmetros hemodinâmicos. Agora a  curcumina tem também um efeito anti apoptótico. O que é  isso? Apoptose é a morte programada da célula. Então,  todas as nossas células, elas nascem com um tempo de vida  programado. Elas vão morrer, não tem como não morrer. Agora  a curcumina, ela acaba postergando essa morte, acaba  empurrando o reloginho um pouquinho mais pra frente. Isso  ficou demonstrado nos cardiomiócitos, são as células  musculares do coração, então tem um efeito aí cardiovascular  importante. Agora, já tem relato na parede vascular  da curcumina melhorar o colágeno, melhorar também a  elastina, que são as duas estruturas principais da parede  do vaso, exatamente a falha no colágeno, falha na elastina que  acaba levando a formação de aneurismas, aquela  fragilidade da parede do vaso, grandes rompimentos por  causa dessa fragilidade do vaso. Então, se a gente tem o  colágeno, que é o tijolinho que acaba formando a nossa  estrutura da parede vascular. Agora não é sem risco, esse é  um grande problema, a curcumina, ela é um tempero, ela tá  disponível pra todo mundo, é fácil, compra no supermercado.  Será que ela é realmente zero toxicidade? Será que não tem  influência nenhuma negativa na na saúde? Tem alguns trabalhos  que mostraram uma alteração no intervalo QT. O que é isso? É  no eletrocardiograma, ou seja, na parte elétrica do  coração. Tanto isso é relevante que algumas pessoas  propuseram o uso da curcumina junto com a outra medicação pra  tentar diminuir esse efeito, outras pessoas começaram a  colocar a curcumina em formato diferentes, né? O nanoformatos  ou disponíveis junto com uma molécula carreadora,  carregadora dela, que acaba pegando e levando moléculas  lipídicas e acaba liberando de forma mais controlada e  evitando essa alteração no eletrocardiograma e a baixa  disponibilidade, né? Não a disponibilidade no  supermercado, isso aí você vai lá compra e é superfácil, eu tô  falando disponibilidade no seu sangue. Significa o quê? Que se  eu virar  tudo isso aqui de de curcumina eu vou  aproveitar muito pouco. Boa parte disso vai sair nas fezes  do jeito que entrou. Então as vezes você gasta muito dinheiro  com uma curcumina que tá entrando e saindo e não tá  fazendo efeito nenhum. Então a gente tem que aumentar essa  biodisponibilidade e isso tem como ser feito, eu vou explicar  aqui porque afinal é um medicamento barato no ponto de  vista custo benefício, né? Seria capaz de minimizar o  impacto de uma das doenças que mais afeta o mundo inteiro, né, são as  doenças cardiovasculares, que mais causa óbito no mundo  inteiro. Imagina se a gente tem algo tão simples assim que a  gente consegue diminuir na população toda a morte por  causa disso. Seria muito interessante, mas pra isso a  gente precisa ter mais pesquisa, mais estudo pra  contornar aí os problemas relativos à curcumina. Agora já  falei de todos os efeitos, falei de como que é a  curcumina, o que faz, não faz no corpo. Ea má circulação, o que tem a  ver? Bom, a gente divide má circulação e má circulação  arterial que seria as doenças ateroscleróticas basicamente e  a má circulação venosa. Então, aonde que tem todo esse  impacto? Eu falei da fisiopatologia de tudo isso e  essa fisiopatologia tá relacionada a doença  aterosclerótica. Então, a aterosclerose tá nas artérias e  não nas veias. Então, o uso da curcumina para profilaxia, pra  prevenção de doença arterial faz sentido. Agora, como fazer isso  pra doença venosa? Será que vale? Tem algum efeito? Olha,  eu procurei muito na literatura científica algum efeito da  curcumina em doença venosa em varizes. Não encontrei, não tem  nada falando disso. Pelo modo como a curcumina funciona, eu  acredito que ela possa diminuir um pouquinho a fase  inflamatória da doença venosa. Então, poderia melhorar talvez  um pouquinho dos sintomas inflamatórios da doença mas não  vai prevenir a doença, principalmente porque a doença  venosa, ela tá mais ligada a uma questão genética e seria  mais um sintomático. Agora, na no quesito doença arterial,  sim, ela tem um impacto, a gente precisa de mais estudo  pra saber exatamente quanto que é esse impacto, mas nada impede  de você começar a usar de forma profilática. Agora, qual que é  a dica de uso? Como a gente deve usar a cúrcuma no  dia a dia? Então, você pode colocar como tempero, sabe? Porque gosta  do tempero, porque gosta do sabor, sabendo que tem essa  biodisponibilidade limitada. Agora, você pode usar de uma  forma mais controlada, né? Então, aí vai ser por meio de  suplementos ou com a manipulação. Normalmente quando  a gente faz a manipulação, a gente vai colocar uma outra  substância junto, que é a piperina que vai aumentar a  absorção da curcumina. Todos os estudos da curcumina na saúde  vascular, a dose diária gira em torno de entre cento e  cinquenta a dois mil miligramas por dia, então tem até trabalho  com menos, com cento e dez, mas assim, a maior parte dos  trabalhos tá entre duzentas miligramas e seiscentas  miligramas por dia. Pra prevenção da doença vascular, a  dose seria menor, faz sentido, né? Aí talvez em torno de  quinhentas, seiscentas miligramas diárias junto com em  torno de dez miligramas piperina é o suficiente pra ter  uma boa absorção. Agora tem gente que relata doses  altíssimas de curcumina no tratamento, então eu já ouvi  gente falando três gramas, quatro gramas de curcumina  no tratamento. Eu preciso falar que isso não tá embasado em  literatura nenhuma, né? Como eu disse, os trabalhos chegam até  dois gramas diários. Pra dois gramas diários a gente poderia  colocar quarenta miligramas de de piperina junto pra aumentar essa  absorção. Mas fora isso a cúrcuma é bem saborosa, é algo  que você pode colocar no tempero da comida da sua  família e sabendo que tá fazendo um bem. Gostou do nosso  vídeo? Inscreva-se no nosso canal, compartilhe com seus  amigos e fica aí que eu vou colocar o próximo melhor vídeo  pra você assistir. 

O post Como usar a cúrcuma? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Perguntas sobre dieta cetogênica

Vascular.pro - dom, 12/11/2022 - 16:15
O que é a dieta cetogênica?

A dieta cetogênica é um tipo de dieta que foi criada originalmente como um tratamento para a epilepsia. É uma dieta muito baixa em carboidratos e rica em gorduras, que promove a produção de corpos cetônicos no fígado. Isso faz com que o corpo queime gordura como principal fonte de energia em vez de carboidratos.

A dieta cetogênica é muitas vezes usada como um método para perder peso, pois pode ajudar a reduzir o apetite e aumentar a queima de gordura. No entanto, é importante lembrar que essa dieta deve ser seguida sob a orientação de um profissional de saúde qualificado, pois pode ter efeitos colaterais e não é adequada para todas as pessoas.

Como se faz uma dieta cetogênica?

Existem várias formas de seguir uma dieta cetogênica, mas geralmente envolvem comer muitas gorduras saudáveis, proteínas moderadas e poucos carboidratos. É importante trabalhar com um profissional de saúde para criar um plano de alimentação que seja adequado para as suas necessidades e metas de saúde.

Alguns alimentos comuns que podem ser incluídos em uma dieta cetogênica incluem:

Carnes: carne vermelha, frango, peixe e outros cortes magros de carne
Ovos: inteiros, com gema e claras
Laticínios: queijo, manteiga, creme de leite e outros produtos lácteos sem açúcar
Óleos e gorduras: azeite, óleo de coco, gordura de bacon e manteiga clarificada
Legumes: espinafre, brócolis, couve-flor, abobrinha e outros vegetais de baixo teor de carboidratos
Nuts and seeds: nozes, sementes de abóbora e de girassol, e outras oleaginosas
Bebidas: água, café e chá sem açúcar adicionado
É importante lembrar que cada pessoa é diferente e pode ter necessidades alimentares específicas. É sempre melhor trabalhar com um profissional de saúde para criar um plano de alimentação que seja adequado para as suas necessidades e metas de saúde.

Quanto tempo pode fazer uma dieta cetogênica?

A duração da dieta cetogênica depende de vários fatores, incluindo as suas metas de saúde e o seu estado de saúde atual. É importante lembrar que a dieta cetogênica é um tipo de dieta muito restritiva e deve ser seguida sob a orientação de um profissional de saúde qualificado.

Geralmente, é recomendado seguir a dieta cetogênica por um período de tempo limitado, como algumas semanas ou meses. Depois desse período, é importante retornar a uma alimentação mais equilibrada e variada para evitar efeitos colaterais e garantir que você esteja obtendo todos os nutrientes de que o seu corpo precisa.

É importante lembrar que a dieta cetogênica não é adequada para todas as pessoas e pode ter efeitos colaterais. É sempre melhor trabalhar com um profissional de saúde para criar um plano de alimentação que seja adequado para as suas necessidades e metas de saúde.

Algum famoso fez dieta cetogênica?

Sim, muitas pessoas famosas já fizeram a dieta cetogênica. Alguns exemplos incluem a atriz Halle Berry, o ator Vin Diesel e o cantor Tim McGraw. Eles fizeram a dieta como parte de seus esforços para perder peso e melhorar a saúde. No entanto, é importante lembrar que cada pessoa é diferente e o que funcionou para eles pode não funcionar para você. É sempre melhor trabalhar com um profissional de saúde para criar um plano de alimentação que seja adequado para as suas necessidades e metas de saúde.

Como se começa uma dieta cetogênica?

Se você está interessado em começar uma dieta cetogênica, é importante trabalhar com um profissional de saúde qualificado para criar um plano de alimentação adequado para as suas necessidades e metas de saúde. O profissional de saúde pode ajudá-lo a planejar as suas refeições e lhe fornecer orientação sobre os alimentos que você deve comer e evitar.

Algumas dicas gerais para começar uma dieta cetogênica incluem:

Comece lentamente: reduza gradualmente a quantidade de carboidratos que você consome e aumente a quantidade de gorduras saudáveis ao longo de algumas semanas. Isso pode ajudar a evitar efeitos colaterais e garantir que você esteja se adaptando à dieta de forma saudável.
Faça o seu planejamento: planeje suas refeições com antecedência e prepare seus alimentos com antecedência para garantir que você tenha sempre opções saudáveis à mão.
Beba muita água: a água é importante para manter o seu corpo hidratado e ajudar a eliminar os corpos cetônicos da sua urina. Beba pelo menos 8 copos de água por dia.
Escolha alimentos de qualidade: opte por alimentos frescos e naturais em vez de alimentos processados e ricos em carboidratos. Isso pode ajudar a garantir que você esteja obtendo nutrientes de qualidade e evitando ingredientes prejudiciais.
Lembre-se de que a dieta cetogênica é um tipo de dieta muito restritiva e deve ser seguida sob a orientação de um profissional de saúde qualificado. É importante trabalhar com um profissional de saúde para criar um plano de alimentação que seja adequado para as suas necessidades e metas de saúde.

 

 

 

 

 

O post Perguntas sobre dieta cetogênica apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Tatuagem masculina e saúde

Vascular.pro - sex, 12/02/2022 - 07:56

Nesse post você vai saber mais sobre a relação entre tatuagem masculina e saúde.

Tatuagem faz mal a saúde? É arriscado fazer tatuagem? Isso e muito mais você vai poder conferir nesse post.

Portanto, se você quer fazer uma tatuagem e tem dúvidas se é prejudicial à saúde, esse post com certeza será útil.

Tatuagem masculina e saúde.

Ainda existe muita dúvida quando se fala de tatuagem e saúde.

Será que faz mal à saúde?

Depende, já que geralmente não é a tatuagem que se torna prejudicial à saúde e sim as tintas utilizadas, os equipamentos, o ambiente ou lesões prévias no local da pele onde se está fazendo a tattoo.

Se você está pensando em fazer uma tatuagem masculina, é crucial conhecer os riscos de se fazer uma tatuagem e os cuidados necessários para não correr esses riscos.

Confira abaixo os principais riscos da tatuagem.

Riscos de fazer tatuagem.

Os principais riscos de se fazer uma tatuagem são:

Inflamação do local.

Quando ocorre a inflamação do local deixando a região mais vermelha, inchada e com a temperatura elevada o risco de se formar uma cicatriz ou causar uma infecção se torna maior. Qualquer corpo estranho no nosso corpo vai gerar reação. Como a tinta não é reconhecida como sendo do nosso organismo, então ela ocasiona resposta do organismo. O método de implante da tinta é com micro agulhamentos, que geram pequenas lesões que também são responsáveis pela inflamação local.

Reação alérgica.

A tinta utilizada pode provocar uma reação alérgica.

Além disso, essa reação pode surgir pouco tempo depois de feita a tatuagem ou até mesmo anos depois.

Risco de infecção.

Outro risco à saúde que pode ocorrer na hora de fazer uma tatuagem masculina são as infecções.

Por exemplo, infecção pela hepatite B ou C, HIV e Staphylococcus aureus.

Isso pode ocorrer quando o material utilizado não for descartável.

Formação de queloides.

Além dos riscos citados anteriormente, pode ocorrer de surgir cicatrizes feias com inchaço e relevo.

Essas cicatrizes são conhecidas como queloides e são predisposições pessoais.

Coceiras e manchas na pele.

É um risco muito comum de acontecer, principalmente em tatuagens feitas com henna, uma técnica de tatuagem temporária.

Lesões benignas.

Para finalizar, quando se fala de tatuagem masculina e saúde, é essencial alertar que o risco de desenvolver lesões benignas é maior.

Alguns exemplos de lesões são cistos na pele, dermatofibroma e queratose seborreica.

Cuidados importantes.

Mesmo com o risco, pesquisas mostram que 19% dos homens têm pelo menos uma tatuagem.

Considerando os riscos, existem cuidados importantes que se deve ter na hora de decidir fazer uma tatuagem com o intuito de reduzir esses riscos.

São eles:

Procure um profissional qualificado.

Muitos dos riscos podem ocorrer devido ao despreparo do profissional.

Portanto, é valoroso fazer a tatuagem com um profissional que seja qualificado e esteja apto a realizar o procedimento.

Estudo o histórico do profissional antes de executar o procedimento.

Faça em um ambiente adequado.

Fique atento às condições de higiene do local.

Se o ambiente não for limpo e organizado, talvez não seja local apropriado para você se arriscar a fazer uma tatuagem.

O material deve ser descartável e de boa qualidade.

Para evitar o risco de infecções, todo o material utilizado deve ser novo e descartável. Cuidado com o barato que sai caro.

Portanto, se certifique que o material utilizado não está sendo reutilizado.

Além disso, o material deve ser de qualidade, principalmente as tintas que serão utilizadas para fazer a tatuagem.

Já que uma tinta de qualidade duvidosa pode trazer riscos à saúde.

Não faça tatuagem em cima de pintas, manchas ou varizes.

Quando se tem pintas ou manchas na pele é crucial que se consiga acompanhar se estão sofrendo alguma mudança de cor, tamanho e forma.

Já que, essas alterações podem indicar algum problema de saúde.

Por esse motivo, não é recomendado fazer tatuagem em cima de pintas ou manchas.

Tatuagens em cima de varizes também podem causar problemas como tromboflebite.

 

Use protetor solar.

Usar uma camada generosa de protetor solar sempre que for se expor ao sol é fundamental para proteger a pele.

Além disso, proporciona o benefício de evitar que a tatuagem desbote.

Cuide da cicatrização.

Uma boa cicatrização é indispensável, portanto, não deixe de usar pomadas ou cremes cicatrizantes por pelo menos 15 dias após fazer a tatuagem.

Além disso, usar antibióticos também pode ajudar na boa cicatrização da tatuagem. Converse com seu médico antes do procedimento e esteja preparado. Lembre-se que antibiótico necessita de receita controlada, o tatuador não pode prescrever.

Não frequente praias ou piscinas.

Após fazer a tatuagem, frequentar praias e piscinas aumentam o risco de infecções.

Por isso, evite frequentar praias e piscinas nos primeiros dois a três meses após o procedimento.

Procure um médico em caso de alterações.

Se você fez a tatuagem e notou ao decorrer do tempo alguma alteração no local da tatuagem procure um médico imediatamente.

Somente dessa forma poderá ser diagnosticado o problema e a melhor forma de tratamento.

O post Tatuagem masculina e saúde apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Dor nas pernas

Vascular.pro - sex, 12/02/2022 - 07:37

A dor nas pernas pode ser ou não causada por doenças.

Além disso, em alguns casos é necessário procurar um médico o mais rápido possível.

Portanto, se você está com dor nas pernas ou conhece alguém que está passando por isso, esse post pode ser útil.

Confira abaixo mais informações sobre dor nas pernas e quando é o caso de procurar um médico.

Dor nas pernas.

Sentir dor nas pernas é algo muito comum, principalmente quando envelhecemos.

Essa dor pode ser leve, moderada ou intensa.

Além disso, pode passar rapidamente, demorar mais para passar e até ser uma dor que vai e volta.

Geralmente, a dor nas pernas é causada por ficar longos períodos em pé, além de pequenas lesões musculares da prática de exercícios intensos.

Além disso, pode ser causada também pela falta de atividades físicas, por câimbras e má circulação.

O que na maioria das vezes não chega a ser preocupante.

 

Quando procurar um médico.

Apesar de ser comum sentir dor nas pernas e na maioria das vezes não ser um caso para se preocupar, é crucial ficar atento aos sinais.

Já que, em alguns casos pode sim, ser necessário procurar um médico.

Alguns exemplos de quando procurar um médico ao sentir dor nas pernas são:

Em caso de febre.

Se a dor nas pernas for acompanhada de febre, recomendamos procurar um médico.

Já que a dor com a febre pode ser um sinal para alguma doença, mais frequentemente alguma infecção.

Se tiver com a perna vermelhada e inchada.

Em caso de pernas doloridas com vermelhidão e inchaço no local é essencial procurar um médico.

Já que inchaço e dor nas pernas pode ser um alerta para trombose.

Piora da dor.

Não importa o que você faça, a dor só faz piorar?

Então esse é um sinal de que você deve procurar um médico o mais rápido possível.

A perna estiver preta ou azul.

Nesse caso pode significar que um coágulo está bloqueando a passagem de sangue.

Portanto, não espere em casa, procure um médico antes que seja tarde demais.

 

Em caso de pernas frias e pálidas.

Se as suas pernas estão frias e pálidas você pode estar sofrendo de uma insuficiência arterial.

Nesse caso, somente um médico pode te orientar sobre o melhor tratamento e como aliviar a dor.

A dor piora ao caminhar e se exercitar.

Se a dor piora ao caminhar e se exercitar, mas melhora ao descansar, pode ser necessário procurar um médico.

Sobretudo se a dor não for aquela dor que normalmente sentimos ao praticar exercícios físicos intensos.

Não consegue andar.

Se você está com dificuldade de andar ou não consegue colocar peso nas pernas devido a uma dor intensa, então é motivo para procurar ajuda de um médico.

Dormência ou queimação.

Em alguns casos, problemas neurológicos podem causar dor nas pernas, dormência, formigamento e queimação.

Nesse caso é necessário procurar um médico neurocirurgião para investigar as causas das dores e o melhor tratamento para você.

 

Como aliviar a dor nas pernas?

A depender da causa da dor, é possível aliviar a dor nas pernas em casa.

Algumas formas são:

Aplique uma bolsa de gelo.

Aplicar uma bolsa de gelo nas pernas ajuda a aliviar a dor aguda e reduzir o inchado no local. Atua, principalmente, como analgésico e anestésico local.

A bolsa de gelo pode ser aplicada até 3 vezes por dia por mais ou menos 10 a 20 minutos.

 

Aplique compressas mornas.

Aplicar compressa morna diminui a inflamação local, o que pode diminuir a dor.

 

Descanse as pernas.

Descansar as pernas é uma das melhores formas de aliviar a dor, principalmente depois de longas horas em pé e até exercícios intensos.

Portanto, tente descansar as pernas o máximo que puder e de você trabalha em pé, tente fazer pausas para que você descanse as pernas.

Eleve as pernas levemente.

Com o auxílio de almofadas ou travesseiros, deixe as pernas elevadas por tempo suficiente mais ou menos no nível do coração enquanto você fica deitada.

Isso vai ajudar a aliviar mais ainda o inchaço e dores nas pernas.

Faça compressão.

Faça uma compressão com bandagem ou meias de compressão indicadas pelo médico. Isso ajuda a melhorar a circulação e consequentemente as dores quando o problema tem origem venosa.

No entanto, cuidado para não apertar demais a bandagem ou usar meias de compressão muito apertadas.

O post Dor nas pernas apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Dor no pescoço

Vascular.pro - sex, 12/02/2022 - 07:05

Você está sentindo dor no pescoço e gostaria de saber o que pode ser essa dor?

Nesse post vou falar um pouco sobre dor no pescoço e tudo o que você precisa saber.

Quais as causas de dor no pescoço, o que pode ser, tratamento e as principais dúvidas sobre o assunto.

Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre dor no pescoço.

Dor no pescoço.

A dor no pescoço é conhecida também como cervicalgia.

Sentir dor no pescoço é algo bastante comum de se acontecer, já que o pescoço é uma estrutura delicada onde passa muitas estruturas mais delicadas ainda.

Sua estrutura é composta por coluna cervical, tendões, músculos e articulações que permitem flexionar, movimentar e estender a cabeça de um lado para o outro. Com tudo isso, diferentes problemas podem causar a dor devido a lesões ou outras causas não aparentes.

Causas.

Como dito anteriormente, a dor no pescoço pode ocorrer devido a lesões de diversas estruturas anatômicas ou, ainda, causas não aparentes.

Confira abaixo as principais causas da dor no pescoço.

São elas:

  • Vícios de postura.
  • Estresse ou tensão muscular.
  • Osteoporose.
  • Hérnia de disco.
  • Estenose espinhal.
  • Falta de ergonomia no uso de aparelhos eletrônicos, por exemplo, computador, celular e tablet.
  • Contratura e espasmo muscular.
  • Doenças autoimunes, por exemplo, fibromialgia e artrite reumatoide.
  • Doenças inflamatórias, por exemplo, meningite e amigdalite.
  • Torcicolo.
  • Nódulos no pescoço.
  • Carotidínea.
Sintomas.

Dependendo da causa, os sintomas da dor no pescoço podem ser das mais variadas, mas, existem aquelas que são mais comuns.

São elas:

  • Rigidez ou contratura muscular ao apalpar o pescoço.
  • Dificuldade para movimentar a cabeça.
  • Fraqueza nos braços.
  • Dor de cabeça.
  • Sensação de pontadas ou agulhadas no pescoço.
  • Dormência.
  • Formigamento na ponta dos dedos das mãos.
Como prevenir a dor no pescoço?

Alguns cuidados podem te ajudar a prevenir a dor no pescoço, principalmente quando está relacionado a hábitos ruins, como a má postura.

Algumas formas de prevenir a dor no pescoço são:

  • Cuide da postura.
  • Tenha uma boa ergonomia ao usar computadores, seja em casa ou no trabalho.
  • Se você trabalha muitas horas na mesma posição, faça uma pausa e movimento o pescoço.
  • Se você trabalha muitas horas na mesma posição, faça uma pausa e movimento o pescoço.
  • Ao movimentar o pescoço, movimente com delicadeza e cuidado.
Quando buscar ajuda médica?

Mais frequentemente a dor no pescoço está relacionada a má postura ou a ficar longas horas na mesma posição.

No entanto, em alguns casos pode ser mais grave ou estar relacionado a alguma outra condição, sendo necessário então procurar um médico.

Se você está sentindo dor no pescoço e apresenta um dos sintomas ou desconforto citados abaixo, procure um médico.

São eles:

  • Quando a dor no pescoço é acompanhada de formigamento no pescoço, ombro e ponta das mãos.
  • Se a dor for progressiva, ou seja, vai piorando com o tempo.
  • Quando a dor no pescoço surge devido ao trauma, por exemplo, uma queda, pancada ou acidente de carro.
  • Se além da dor, passar a apresentar fraqueza nos braços e pernas, deixar de ter coordenação ou força nos membros superiores e inferiores.
  • Quando a dor no pescoço passa a vir acompanhada também de dores de cabeça.
Tratamento.

O tratamento pode ser feito com analgésicos para aliviar o incômodo e a dor no pescoço quando a causa for algo mais inocente.

No entanto, a depender da situação e causa da dor, outros tratamentos podem ser necessários, por exemplo, sessões de fisioterapia, medicamentos e acupuntura.

Porém, somente um médico é capaz de definir o melhor tratamento em casos mais severos.

Por esse motivo, se a dor persistir ou for acompanhada de outros sintomas, o ideal é procurar ajuda médica para definir a causa e o tratamento necessário.

Além disso, é crucial prestar atenção se a dor é mesmo no pescoço ou na veia do pescoço, o que pode indicar um problema nas carótidas.

Dor na veia do pescoço.

Um problema na carótida pode reduzir o fluxo de sangue para o cérebro, portanto, além da dor, pode causar tonturas, desmaio e dores de cabeça. Essa obstrução, chamada de placa aterosclerótica, é o problema mais comum nas carótidas, mas é indolor.

Os problemas vasculares nos vasos do pescoço que podem ser origem de dor são a carotidínea, situação onde ocorre inflamação da parede arterial e a dissecção arterial.

Por esse motivo, procure um médico caso sinta esses sintomas.

Apesar de ser comum a dor do pescoço, amiúde está correlacionada a outras estruturas, como os músculos. É essencial procurar um médico para descartar problema na carótida ou de doenças mais frequentes que podem estar relacionadas a dor no pescoço.

Alguns problemas na carótida que podem causar dores no pescoço são:

Placas de gordura na carótida.

É uma obstrução, que pode causar dor do lado esquerdo ou direito.

Além da dor no pescoço, pode causar tonturas e dores de cabeça.

Dissecção de carótida.

Na maioria das vezes é causada por traumas no pescoço, por exemplo, acidente de carro, tratamento de fisioterapia incorreto na região e balançar fortemente a cabeça.

Além da dor no pescoço, pode causar tontura, cefaleia, dor na palpação da artéria e derrame cerebral.

Carotidínea.

A carotidínea, também chamada de síndrome de Fay ou síndrome TIPIC (Transient Perivascular Inflammation of the Carotid Artery) é uma situação rara, de terminologia controversa e fisiopatologia obscura.

Caracteriza-se pela inflamação da túnica adventícia arterial, justificando o espessamento da parede do vaso excêntrico que pode ser observado em diferentes exames de imagem.

Afeta mais amiúde mulheres e uma população mais jovem, quando comparada à doença carotídea aterosclerótica (placa carotídea).

Não ocorre alteração do fluxo sanguíneo.

O post Dor no pescoço apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Ponte de safena

Vascular.pro - qui, 12/01/2022 - 19:44

Está com dúvidas sobre a ponte de safena? Então com certeza esse post será útil.

Confira tudo o que você precisa saber sobre o procedimento da ponte de safena. E se ao operar varizes você inviabiliza esse procedimento no futuro.

O que é ponte de safena, para que serve e como é feita.

Além disso, o que a grande maioria procura saber, como é a recuperação cirúrgica do procedimento chamado ponte de safena.

Ponte de safena.

A ponte de safena é uma cirurgia que usa uma parte da veia safena da perna com o intuito de desviar sangue da aorta para as artérias coronárias que irrigam o próprio coração.

A cirurgia de revascularização miocárdica por ponte de safena aorto-coronária, além de ser conhecida como ponte de safena, é conhecida também como revascularização do miocárdio ou bypass cardíaco.

Quando existe uma obstrução por placas de gordura nos vasos do coração, é feito outros tratamentos. Se, ainda assim não tem resultado, pode ser necessário fazer essa cirurgia.

Já que, nesse caso, quando o tratamento não tem resultado, aumenta os riscos de se ter complicações, por exemplo, o infarto.

Para que serve a ponte de safena?

Para que o coração funcione corretamente, ele precisa abastecer seu próprio músculo com sangue rico em oxigênio.

Esse sangue chega pela artéria aorta através dos vasos do músculo cardíaco, esses vasos são conhecidos como artéria coronária.

Acontece que o sangue passa em menor quantidade para o músculo quando essas artérias estão obstruídas com gorduras nas paredes dos vasos. Dessa forma ocorre a diminuição da quantidade de oxigênio que chega até essas células musculares.

Como resultado, o coração acaba perdendo parte da sua capacidade de bombear o sangue pelo corpo, causando cansaço fácil, sensação de falta de ar e desmaios.

Além disso, a pessoa pode estar com a vida em risco, já que se o sangue não passar na quantidade necessária, pode levar o músculo cardíaco a entrar em colapso e morte celular, causando um infarto.

Nesse caso, o médico irá sugerir a cirurgia de ponte de safena. Ela serve para que o sangue continue a circular pelo músculo cardíaco através de uma ponte entre a artéria aorta e o local após a obstrução da artéria coronária. Possibilitando assim que o coração volte ao seu funcionamento normal.

Como é feita a cirurgia de ponte de safena?

A cirurgia de ponte de safena consiste em pegar um pedaço da veia safena da perna para fazer uma ponte entre a artéria aorta e o local após a obstrução da artéria coronária.

Além disso, é uma cirurgia delicada, pode durar em média cinco horas e é feita em seis etapas. São elas:

Anestesia.

Em primeiro lugar, é necessária uma anestesia geral, além de ser colocado um tubo na traqueia para facilitar a respiração do paciente.

Veia safena.

O segundo passo é retirar cuidadosamente parte da veia safena na perna. é bem diferente da cirurgia de varizes.

Acesso às artérias do coração.

Em terceiro lugar, é necessário ter acesso às artérias do coração, para isso é feito um corte no tórax.

Definir os locais para fazer a ponte.

Após examinar as artérias obstruídas, o médico irá definir os locais para fazer a ponte de safena.

Costura da veia.

O quinto passo é costurar a veia safena no local que for necessário.

Fechar o tórax.

Em sexto lugar, o tórax é fechado com suturas especiais com o intuito de aproximar o osso esterno.

Após a cirurgia finalizada, é mantido o tubo da traqueia durante as primeiras horas de recuperação.

Como é a recuperação?

Depois da cirurgia é necessário avaliar constantemente os sinais vitais do paciente além de descartar qualquer complicação, por esse motivo ele fica internado na UTI durante 2 ou 3 dias.

Após ser considerado estável, o paciente já pode ser transferido para o quarto onde continuará tomando analgésicos com o intuito de evitar dores e desconforto no peito.

Além disso, será iniciado a fisioterapia com exercícios respiratórios, caminhada e exercícios leves.

Geralmente, o paciente volta a sua rotina normal após 90 dias.

A princípio, é necessário ficar até 4 semanas dirigir e carregar pesos maiores que 10 quilos.

Além de ser necessário comparecer à consulta do pós operatório, tomar os remédios recomendados pelo médico e seguir os cuidados pós operatórios que o médico recomendar.

A circulação das pernas é prejudicada?

Como é retirada parte da veia safena da perna, sempre surge a dúvida se a circulação das pernas do paciente será prejudicada e a resposta é não.

Além de o sangue poder continuar circulando normalmente por outras veias de nossa ampla rede venosa, acontece o processo adaptação natural para suprir as necessidades corporais da veia safena removida.

Operar de varizes e tirar a safena atrapalha se for necessário esse procedimento?

Nós temos quatro safenas no nosso corpo, duas em cada perna. A safena magna e a safena parva. Temos também outras veias que podem ser utilizadas caso seja necessário, como as veias do braço, na ausência da possibilidade de usar as safenas.

O post Ponte de safena apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Whey protein

Vascular.pro - qui, 12/01/2022 - 19:22

Está pensando em tomar Whey protein, mas está com dúvidas?

Veja nesse post tudo o que você precisa saber sobre Whey protein antes de começar a tomar.

O que é, para que serve, como tomar, benefícios e os melhores tipos.

Whey protein.

O Whey protein é um suplemento alimentar que ajuda a complementar a quantidade de proteínas que necessitamos ingerir diariamente.

Essas proteínas são extraídas do soro do leite e possuem alto valor biológico, além de serem proteínas que são bem absorvidas pelo corpo.

Além disso, essas proteínas são passadas por um processo de filtragem para remover as impurezas indesejáveis.

Para que serve?

O Whey protein possui aminoácidos, proteínas e uma alta concentração de cálcio, o que se torna excelente para a saúde dos ossos.

Além de tudo, ajuda no aumento da força e da massa muscular após a prática de exercícios físicos intensos.

Além disso, serve para auxiliar na recuperação muscular, na hipertrofia e na suplementação alimentar para quem possui déficit nutricional. Ademais, serve para atletas que não conseguem ingerir a quantidade de proteínas ideal para seu treino somente com a alimentação.

Como tomar Whey protein?

Para tomar o Whey protein deve-se dissolver preferencialmente em água para que sua absorção seja mais rápida.

Geralmente, se toma uma dose ao dia após a prática de exercícios físicos.

No entanto, não existe uma única forma de tomar Whey protein. Afinal, alguns fatores podem influenciar na dose e horários, principalmente suas metas. Nesse caso somente um nutricionista pode avaliar sua necessidade individual e indicar a melhor forma de tomar Whey protein para seu objetivo.

Alguns fatores que podem influenciar a quantidade ingerida são:

  • A saúde de quem vai ingerir.
  • O tipo de proteína recomendada.
  • A quantidade de ingestão de proteína diária.
  • O excesso de nutrientes ou a falta deles.
  • Sua rotina alimentar.
  • Sua idade.
Benefícios

Esses são alguns dos benefícios do Whey protein:

  • Ajuda no processo de cicatrização.
  • Previne o envelhecimento precoce.
  • Fortalece o sistema imunológico.
  • Controla a pressão sanguínea.
  • Possui ação antioxidante.
  • Aumenta a saciedade.
  • Ajuda a aumentar a imunidade.
  • Auxilia no processo de emagrecimento.
Melhores tipos de Whey protein.

Existem alguns tipos de Whey protein, no entanto, o melhor tipo vai depender do objetivo de cada pessoa.

Como dito anteriormente, a proteína passa por um processo de filtragem.

Quanto mais processos ele passa, mais quantidade de proteínas vai possuir, ou seja, mais concentrado.

Além disso, quanto mais eficaz for essa filtragem, melhor será o Whey protein. Por isso, existem tipos diferentes do suplemento.

São eles:

● Whey protein concentrado.

Esse tipo mantém os carboidratos, gorduras e minerais do leite, portanto, é mais indicado para iniciantes e intermediários na musculação.

Além disso, possui 70 a 80% de proteínas e sua absorção pelo organismo é mais lenta.

● Whey protein isolado.

Possui 90% de proteína, além disso, possui pouquíssima gordura e carboidratos.

Sua proteína é mais pura e é indicado para quem busca alta performance e rápida absorção pelo organismo.

Inclusive, geralmente os intolerantes a lactose se dão bem com esse tipo de Whey protein, já que esse tipo quase não possui lactose.

● Whey protein hidrolisado.

É o que tem absorção mais rápida pelo organismo.

Além disso, possui baixa quantidade de gorduras e carboidratos e 90% a 98% de proteína.

É mais indicado para atletas de alta performance.

Contraindicações.

O consumo de Whey protein é contraindicado em alguns casos, são eles:

  • Pessoas que tenham alergia a proteína do leite.
  • Quem atinge os níveis ideais de proteína com a alimentação.
  • Pessoas que possuem problemas renais ou restrições proteicas.

É crucial não ingerir nesses casos. Além disso, é elementar não consumir em excesso, já que mesmo que você não se encaixe no grupo das contra indicações, o consumo em excesso pode ser prejudicial.

Por exemplo, pode causar acnes, problemas renais, desconforto abdominal, náuseas, gases, perda de apetite e dores de cabeça.

Isso ocorre, pois, o consumo em excesso do suplemento alimentar desregula o funcionamento do organismo.

Ademais, para pessoas que já possuem predisposição a ter acnes, pode não ser recomendado. Afinal, suplementos que possuem alto teor glicêmico ou ricos em laticínios podem favorecer o surgimento da acne.

Por esse motivo e, principalmente se as acnes são algo que te incomodam muito, o ideal é procurar um médico ou nutricionista. Eles serão capazes de te sugerir outro suplemento alimentar rico em proteínas, por exemplo, suplementos derivados de clara de ovo.

O post Whey protein apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Varicocele: A principal causa da infertilidade masculina

Vascular.pro - ter, 11/08/2022 - 11:03

A varicocele trata-se de uma dilatação anormal das veias que drenam o sangue dos testículos.

Ela ocorre devido a uma insuficiência das veias de drenagem desses vasos, o que acaba em repressão do fluxo sanguíneo e forma varizes. Ela é encontrada predominantemente no testículo esquerdo (75 a 95%), algumas vezes em ambos (10 a 20%) e raro no direito.

O que acontece, na prática, é que o represamento sanguíneo ao redor dos testículos aumenta a temperatura na região genital masculina e, assim, a produção dos espermatozoides fica alterada.

Embora muitos nunca tenham ouvido falar dessa doença, ela é a principal causa da infertilidade masculina. No mundo inteiro, ela acomete 15% dos homens. Quando se trata de estatísticas relacionadas a casais inférteis, o problema acomete 35% deles.

A doença tem seu início na puberdade e pode ser detectada a partir dos 12 anos de idade. Porém, como o principal sintoma da varicocele é a própria infertilidade, normalmente ela só é percebida quando o casal identifica a dificuldade de engravidar. Varicocele pode ocorrer quando se descobre a baixa contagem de espermatozoides, que é um dos testes feitos para detecção da infertilidade masculina. O médico dá a confirmação da doença após a realização de um exame físico e de um exame de ultrassonografia testicular.

Existem opções para o tratamento da varicocele, como a laparoscopia e a embolização, mas hoje em dia, indica-se prioritariamente o procedimento cirúrgico. Em todos os casos, o homem deverá monitorar a qualidade do seu esperma durante o tratamento, verificando uma possível melhora do quadro.

Estima-se que 50% dos homens tratados recuperem seu potencial de fertilidade. Nos casos que ainda persistir a infertilidade, pode-se optar pela reprodução assistida (fertilização in vitro ou inseminação intrauterina) para obter a gestação desejada.

 

A visita periódica ao urologista é fundamental para diagnóstico e tratamento de doenças como a varicocele, porém essa não é uma prática comum nem na puberdade, nem na vida adulta dos homens. A maioria dos casos de infertilidade masculina pode ser prevenida pela disposição do homem realizar exames periódicos. Se você suspeita ter varicocele, procure o quanto antes um urologista. Quanto mais cedo o tratamento, maiores são as chances de se ter um filho e se viver uma vida com qualidade e bem-estar.

Dra. Juliana Amato

O post Varicocele: A principal causa da infertilidade masculina apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Jejum intermitente

Vascular.pro - ter, 11/08/2022 - 08:10

Nesse post vou falar um pouco sobre o jejum intermitente, uma técnica que faz mais sucesso a cada dia que passa e possui muitos adeptos.

Você sabe o que é e como fazer jejum intermitente?

Confira abaixo essas dúvidas que são as mais comuns e tudo o que você precisa saber sobre o jejum intermitente.

Jejum intermitente.

Em primeiro lugar, vou falar o que é o jejum intermitente.

A prática do jejum intermitente, é uma atividade milenar, ligada principalmente a atos religiosos.

No entanto, essa prática passou a ser utilizada também por quem deseja perder peso.

Em resumo, o jejum intermitente é uma prática onde se intercala horas em jejum seguido de horas de uma alimentação balanceada.

Além disso, os períodos em jejum e os períodos em que se alimenta é feita geralmente de forma programada.

Apesar de não ser uma dieta que exige que você coma determinadas coisas, como em outras dietas mais restritivas, no jejum intermitente existem, por exemplo, recomendações de como quebrar esse jejum.

Como fazer o jejum intermitente?

Agora que você já sabe o que é o jejum intermitente, é crucial saber como fazer da forma correta.

Em primeiro lugar, é significativo salientar que a partir de 14 horas é o tempo em que o corpo quando em jejum começa o processo de cetose. A cetose também é atingida na dieta cetogênica.

O que é indispensável para de fato ser considerado jejum intermitente.

Portanto, o jejum intermitente geralmente é feito a partir de 14 horas de jejum.

Porém, algumas pessoas preferem fazer de 16 horas, outras de 18 e até de 24 horas.

No entanto, é meritório procurar um nutricionista que vai poder te orientar melhor qual o tempo ideal de jejum para você.

Além do tempo de jejum, é valoroso saber o que se pode ingerir durante o jejum intermitente com o intuito de não quebrar essa privação.

Alguns exemplos do que pode ser ingerido são:

  • Chás sem açúcar ou adoçante.
  • Café sem açúcar ou adoçante.
  • 1 limão (esse limão pode ser espremido na água)
  • Bastante água.

Qualquer outro alimento, inclusive sucos Detox e suplementos como creatina e glutamina, quebram o jejum, portanto, durante o jejum, é marcante estar atento ao que vai consumir.

Acima de tudo, é valoroso também definir quantas vezes será feito o jejum intermitente por semana. Nesse caso um nutricionista também pode te orientar qual a melhor quantidade de acordo com seu perfil e objetivo.

Como quebrar o jejum?

Depois de feito o jejum é necessário voltar a alimentação, ou seja, quebrar o jejum.

O ideal na hora de quebrar o jejum intermitente é que você dê preferência aos alimentos de baixo índice glicêmico.

Por exemplo, queijos, ovos, leite, iogurtes, frutas, vegetais frescos, cereais integrais e leguminosas.

Além disso, evite quebrar o jejum com pães e doces.

Acima de tudo, no período em que você vai se alimentar, tenha uma alimentação salutar, como resultado você vai conseguir colher os benefícios dessa dieta.

Benefícios.

Como toda dieta, ela só vale a pena se proporcionar benefícios.

Alguns dos benefícios do jejum intermitente são:

  • Melhora do controle glicêmico.
  • Longevidade.
  • Perda de peso.
  • Melhora da inflamação sistêmica.
Contraindicações.

Diferente do que muitos falam, o jejum intermitente não faz mal à saúde.

No entanto, é preciso ficar atento às contraindicações e identificar motivos que não permitam aderir ao jejum.

Por exemplo, o jejum intermitente não é indicado para mulheres grávidas, crianças e idosos.

Além disso, por mulheres que estão amamentando, por pessoas que praticam exercícios físicos, que tem gastrite e que têm diabetes tipo 1 e é dependente de insulina.

Fora as contra indicações acima e sendo feita com a orientação de um profissional, a prática do jejum não causa malefício à saúde, além de quase não ter contra indicações.

Efeitos colaterais.

No início do jejum o corpo ainda está se acostumando com o processo de cetose e com os corpos cetônicos como fonte de energia.

Por esse motivo, alguns efeitos colaterais são comuns e normais.

Mas, em alguns dias o corpo se acostuma e então não é mais sentido esses efeitos.

Além disso, é recomendado se manter sempre hidratado, a hidratação é crucial na dieta do jejum intermitente, principalmente no começo quando se sente esses efeitos.

Alguns dos efeitos colaterais no início dessa dieta são:

  • Dor de cabeça.
  • Fadiga.
  • Mal estar.

Prof. Dr. Alexandre Amato

 

O post Jejum intermitente apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Queimação nas pernas

Vascular.pro - ter, 11/08/2022 - 08:04

Você já sentiu ou está sentindo queimação nas pernas?

Nesse post vou falar sobre a queimação nas pernas.

Quais são as principais causas da queimação nas pernas, o que pode ser isso incômodo e essa sensação de pernas queimando.

Confira abaixo as principais causas da queimação nas pernas e tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Queimação nas pernas.

O que pode ser queimação nas pernas? Quais as causas? Essas são umas das primeiras dúvidas a surgir quando se está sofrendo com essa sensação.

A queimação nas pernas pode ser grave ou não, além disso, muitas vezes essa sensação pode atrapalhar o sono.

Essa sensação de queimação pode estar ligada a um problema vascular ou até mesmo quando o sistema nervoso está lesionado na sua estrutura.

A depender do caso o tratamento pode ser feito com um neurocirurgião e, em outros, com um cirurgião vascular.

Em outros ainda, pode haver associação entre uma doença vascular e do nervo.

No entanto, é crucial reforçar que ambos especialistas, podem conseguir ter uma prévia do que pode ser essa queimação nas pernas baseado no relato do paciente.

Neste caso, se o profissional neurocirurgião perceber que é um caso para um cirurgião vascular irá encaminhar o paciente para o especialista adequado. Da mesma forma será feito encaminhamento em uma situação inversa.

Esse é só um resumo do que pode ser a queimação na perna, além disso, ainda tem as causas. Confira abaixo.

Causas.

Existem algumas causas que estão relacionadas a queimação nas pernas.

São elas:

Insuficiência venosa crônica.

Quando as válvulas do sistema nervoso não estão funcionando corretamente, o sangue volta para a região das pernas e pés ao invés de subir em direção ao coração.

Como resultado, acontece o acumulo de sangue e suas substâncias nessa região provocando queimação ou dor.

 

Dor ciática.

Problemas no nervo ciático podem causar queimação nas pernas, no entanto, essa queimação se irradia da lombar para as pernas e joelhos.

Trombose venosa profunda.

Quando tem uma formação de um coágulo em um vaso sanguíneo nas pernas ocorre de se sentir a sensação de queimação, principalmente durante a noite.

Além disso, pode ser acompanhado de uma sensação de inchaço em uma das pernas.

Nesse caso é crucial procurar ajuda médica o mais rápido possível.

 

Diabetes crônica.

A diabetes afeta os nervos e a circulação sanguínea dos membros inferiores, por esse motivo é comum sentir uma sensação de formigamento ou queimação.

 

Deficiência de vitamina B12.

A deficiência de vitamina B12 é uma das causas já que a deficiência dessa vitamina afeta os membros inferiores.

Exercícios físicos pesados.

Nem sempre a queimação nas pernas é causada por alguma doença.

Como é o caso dos exercícios físicos pesados, é comum sentir queimação nas pernas depois de exercícios intensos.

Falta de atividade física.

A falta de atividade física também pode causar essa sensação.

Principalmente para aquelas pessoas que ficam muito tempo paradas, seja sentada ou em pé, o que pode gerar uma má circulação sanguínea e essa sensação de queimação nas pernas.

Varizes.

É muito comum pessoas que tem varizes se queixaram de dor ou queimação nas pernas.

Geralmente ocorre quando os nervos sensitivos periféricos estão inflamados.

O que fazer para melhorar a queimação nas pernas?

Quando a queimação nas pernas ocorre depois de fazer exercícios físicos muito pesados ou pela má circulação depois de ficar muito tempo deitado, ou em pé.

É possível melhorar essa sensação deixando as pernas elevadas por alguns minutos, além disso, descansar também pode ajudar.

No entanto, se essa queimação é persistente, não melhora nem dessas formas e está associado a outros sintomas, o mais recomendado é procurar um especialista.

A depender do caso, quanto antes procurar ajuda médica, melhor, principalmente em casos que podem ser mais graves, como a trombose venosa profunda.

Tratamento.

Somente com o acompanhamento de um especialista é possível definir o melhor tratamento.

É necessário definir se a causa é neurológica ou vascular. É indispensável avaliar se é somente má circulação, ou algo que pode melhorar com exercícios físicos. Até mesmo a deficiência de alguma vitamina poderia melhorar ingerindo mais alimentos ricos dessas vitaminas.

Alguns tratamentos podem ser feitos com medicamentos, outros com meias de compressão.

Cada caso é um caso e somente depois de avaliado pelo médico e fazer os exames solicitados por ele, será possível definir a causa e o melhor tratamento para o paciente.

Por esse motivo, é valoroso procurar um médico seja um neurocirurgião ou cirurgião vascular e relatar todos os sintomas que você está sentindo.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Queimação nas pernas apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Como curar a má circulação?

Vascular.pro - ter, 11/08/2022 - 07:52

Como curar a má circulação? É sobre isso que vou falar nesse post.

As dores causadas pela má circulação podem ser uma situação muito incômoda, por esse motivo é comum pessoas buscando por formas de curar má circulação.

Mas, é possível curar a má circulação? Existe mesmo uma solução?

Confira abaixo como curar a má circulação e tudo o que você precisa saber sobre esse problema.

Como curar má circulação?

Em primeiro lugar, antes de saber como curar a má circulação, é crucial saber que ela pode ser tanto arterial, quanto linfática ou venosa. São doenças diferentes, em sistemas diversos.

Portanto, o tratamento pode ser diferente para cada um desses sistemas vasculares.

No entanto, existem coisas que qualquer pessoa pode fazer em casa e que podem ajudar a melhorar a má circulação.

São elas:

  • Se manter hidratado.

Beber bastante água e se manter hidratado é fundamental.

Existem muitas pessoas que sofrem de má circulação por está bebendo pouca água.

 

  • Perder peso.

Se você está acima do peso vai afetar negativamente tanto o sistema vascular quanto todo o sistema do seu corpo.

Portanto, perder peso é essencial para você melhorar sua saúde no geral.

  • Exercícios vasculares.

Os exercícios direcionados a musculatura da panturrilha podem ajudar bastante, além disso, caminhada e exercícios na água.

Acima de tudo, você tem que ficar ativo, já que a atividade física é fundamental na melhora da circulação.

  • Diminuir a inflamação crônica.

Diminuir a inflamação crônica é outra forma que ajuda na melhora da circulação, pode ser feita através da dieta cetogênica, através de suplementos que melhoram a inflamação, por exemplo, o ômega 3.

  • Manter os membros aquecidos.

Quando o tempo está muito frio é valoroso manter os membros aquecidos, então use luvas e meias que vão ajudar os membros a ficarem aquecidos e melhorar a circulação.

Diagnóstico.

Como dito anteriormente, a má circulação pode ser arterial, linfática ou venosa, então, acima de tudo, é crucial fazer o diagnóstico correto.

As dicas anteriores são formas de amenizar o desconforto causado pela má circulação, mas, não substitui de forma alguma a consulta com um especialista.

Já que, apenas um especialista, preferencialmente um cirurgião vascular pode fazer o diagnóstico e o tratamento.

O principal é fazer o diagnóstico para tratar de forma eficaz a causa dessa má circulação.

 

Creme para má circulação.

Os pacientes costumam pedir creme para má circulação, existem até promessas de cremes que prometem curar a má circulação.

Mas, esses cremes existem? Eles funcionam?

A resposta é que não existe tratamento que um médico possa passar sem um diagnóstico.

Querer usar cremes para má circulação é querer camuflar o problema e isso não é recomendado.

Muitas vezes você tem os sintomas, pensa que é má circulação, mas quando é feito o diagnóstico médico se trata de outro problema com um tratamento específico, diferente da má circulação.

Por exemplo, muitos problemas vasculares precisam de medicamentos direcionados ao problema e até mesmo cirurgia.

Portanto, é indispensável o diagnóstico para começar o melhor tratamento, não adianta querer atrasar o diagnóstico com cremes ou tratamentos caseiros.

Os tratamentos caseiros ou as dicas citadas anteriormente, dependendo do caso, vão funcionar como um algo a mais para ser usado junto com o tratamento adequado.

 

Cuidado com tratamentos caseiros.

Nesse post dei dicas para amenizar a má circulação em casa, além disso, se o problema for outro, essas dicas não irão aumentar ainda mais o problema.

Mas, é comum ver por aí muitas dicas e tratamentos caseiros que, dependendo do seu problema, podem agravar ainda mais a situação.

Por exemplo, deixar as pernas elevadas por alguns minutos, dependendo da situação será benéfica ou prejudicial.

Se o problema for no sistema venoso ou no sistema linfático essa posição irá ajudar. No entanto, se o problema for arterial será prejudicial, já que ficar com a perna elevada vai trazer a piora da doença, dificultando a chegada do sangue na periferia.

Por esse motivo, falar de má circulação de forma genérica é difícil, a má circulação pode ser confundida com outras doenças e o tratamento errado pode ser prejudicial.

Se a dor for frequente, você tem a tendência de sempre sofrer com o que acha ser má circulação, procure imediatamente um especialista. Não tente fazer tratamentos caseiros indicados por alguém que teve sintomas parecidos e melhorou. Muito menos com dicas passadas na internet por alguém que muitas vezes nem é especialista e está dando dicas que podem mais prejudicar do que ajudar.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Como curar a má circulação? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Causas de perna gorda

Vascular.pro - ter, 11/08/2022 - 07:43

Neste post vou falar sobre as principais causas de perna gorda.

Você tem ou conhece alguém que está com problema de perna gorda?

Se sim, é crucial diagnosticar qual a causa, já que em alguns casos pode ser mais grave.

Confira abaixo as causas e as principais dúvidas que você precisa saber sobre perna gorda.

Causas de perna gorda.

Diferente dos casos de obesidade, onde a perna gorda é proporcional ao peso, existem algumas causas de pernas gordas onde a pessoa tem o peso normal, no entanto, os membros estão aumentados.

E as causas podem ser:

  • Linfedema.

O acúmulo de líquido linfático no tecido adiposo é conhecido como linfedema.

Isso causa o inchaço das pernas, o que faz o paciente relatar que está com a perna gorda.

É indispensável o diagnóstico precoce para que sejam tomadas medidas para que a situação melhore.

Além disso, evita que o linfedema se instale.

Ainda assim é valoroso o diagnóstico, já que dessa forma o seu médico pode tratar o linfedema crônico para diminuir os sintomas.

Os tratamentos para linfedema podem ser feitos com drenagem linfática manual, exercícios que estimulam a drenagem linfática, cuidados locais com a pele e terapia de compressão.

Seu médico orientará o melhor tratamento, além disso, o cirurgião vascular será capaz de eliminar outras doenças que podem ser confundidas com o linfedema, chegando de fato ao diagnóstico.

Já que, muitas vezes o linfedema pode ser confundido com insuficiência cardíaca, insuficiência venosa, mixedema ou problemas de tireoide.

 

  • Elefantíase.

A elefantíase ou filariose linfática é uma das causas mais graves de perna gorda.

O parasita, transmitido através da picada de um mosquito causa a inflamação e obstrução no sistema linfático.

Como resultado, a pessoa tem um grande inchaço ou edema nas pernas, podendo ocorrer também nos braços, seios e bolsa escrotal.

Outros sintomas que podem surgir são: febre, dor de cabeça, dor muscular, coceira na pele, calor e vermelhidão na pele e mal estar.

O tratamento é feito com medicamentos para matar o verme que causa a elefantíase.

Além disso, pode ser usado no tratamento analgésico e técnicas para melhorar a drenagem do corpo, como o uso de meias de compressão.

O diagnóstico precoce é indispensável, já que apesar de ter cura, caso demore de ser feito o tratamento, o paciente pode ficar com sequelas da doença.

 

  • Lipedema.

O lipedema é uma das causas mais comuns de perna gorda.

Conhecida também como síndrome gordurosa dolorosa, o lipedema é uma doença crônica caracterizada pelo excesso simétrico de tecido gorduroso combinado a um inchaço que piora ao ficar de pé.

O diagnóstico é crucial para definir a fase do lipedema, que são divididas em 4 fases. Além disso, a distinção entre os casos de obesidade e linfedema é essencial, visto que pode ser facilmente confundido se o diagnóstico não for feito por um especialista.

O tratamento é feito com mudanças de hábitos, além de medicamentos e cirurgia.

Por exemplo, dieta, exercícios físicos, compressão elástica, drenagem linfática manual e lipoaspiração.

 

Diferença de linfedema e lipedema.

Apesar de serem doenças diferentes, o linfedema e lipedema podem ser confundidos.

O linfedema costuma ser assimétrico, ou seja, uma perna vai ser maior do que a outra, o que significa que somente uma perna é acometida.

Além disso, acomete também os pés, pode ser primário ou secundário e geralmente não dói, a não ser que tenha outro problema relacionado.

Por exemplo, no primário a pessoa já nasce com o problema, enquanto que no secundário é causado por uma infecção.

No linfedema também ocorre o endurecimento e escurecimento da pele.

Já no lipedema, costuma ser simétrico, ou seja, as duas pernas são acometidas.

Além disso, a pele do lipedema é mais macia e não acomete os pés até a fase 3, esse acometimento pode ocorrer na fase 4.

Outra diferença é a dor, no lipedema a dor é uma das suas principais características.

Essas são as principais diferenças entre o linfedema e o lipedema.

Acima de tudo, é valoroso saber que apesar de serem doenças diferentes, elas podem andar juntas.

Esse é mais um motivo para procurar ajuda de um especialista.

Um cirurgião vascular é o mais recomendado para fazer o diagnóstico.

Além disso, é capaz de sugerir o melhor tratamento para cada paciente dependendo da doença e do avanço de cada uma.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Causas de perna gorda apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Trombose no braço

Vascular.pro - ter, 11/08/2022 - 07:32

Você sabia que existe trombose no braço?

É muito comum ouvir falar de trombose ou trombose nas pernas, no entanto, é crucial ressaltar que também pode acontecer no braço.

Por esse motivo, nesse post vamos falar sobre trombose no braço.

Confira abaixo tudo o que você precisa saber e as principais dúvidas sobre trombose profunda no braço.

Trombose no braço.

A trombose profunda no braço ou mais abreviada, trombose no braço pode ocorrer.

Apesar de ser mais comum se falar de trombose nas pernas, não é impossível que ocorra também nos braços.

Em primeiro lugar é valoroso saber o que é trombose, já que independente de ser no braço ou nas pernas o problema primário é igual.

A trombose é a formação de coágulos no interior venoso, bloqueando a circulação do sangue que retorna para o coração.

No braço, pode causar sintomas como dor, um inchaço considerável, vermelhidão e dificuldade de mexer os músculos.

Além disso, as veias do braço e do ombro podem ficar mais saltadas e aparentes.

 

Causas.

O que pode causar a trombose no braço?

Geralmente, as principais causas de trombose profunda nos membros superiores são:

trombofilia é causada pela deficiência na ação das enzimas e proteínas que realizam a coagulação do sangue.

Essa deficiência ou mau funcionamento das enzimas podem ocorrer por dois motivos: hereditárias ou adquiridas.

No caso das adquiridas os motivos podem ser câncer, gravidez, obesidade e uso de alguns medicamentos, por exemplo, os anticoncepcionais.

 

  • Cateter em tratamento de quimioterapia.

Entre 20 a 30% dos casos de trombose ocorrem devido aos diversos tipos de câncer, o risco de desenvolver trombose nesse caso é 7 vezes maior.

A trombose de membros superiores se tornou mais comum devido ao aumento do uso de cateteres venosos centrais.

Isso ocorre porque a própria punção já representa uma agressão ao vaso.

Além disso, o medicamento infundido é capaz de lesar a parede da veia.

  • Síndrome do andador de ônibus / Síndrome de Paget Schroetter.

A síndrome do andador de (bonde) ônibus ou síndrome de Paget Schroetter é também conhecida como trombose por esforço.

É uma trombose primária da veia axilar ou subclávia.

É mais comum em quem faz o esforço repetitivo do braço, por exemplo, tenistas, lutadores e levantadores de peso.

O esforço repetitivo, compressões por estrutura ósseas, ligamentares e musculares podem levar a obstrução do fluxo venoso e trombose das veias dos membros superiores.

Pode estar associado à síndrome do desfiladeiro e compressões extrínsecas.

Trombose superficial.

Além da trombose profunda, existe a trombose superficial.

A trombose superficial é conhecida também como tromboflebite. Acontece quando a coagulação do sangue ocorre em uma veia superficial que provoca uma reação inflamatória da parede venosa e dos tecidos vizinhos.

A reação inflamatória pode ocorrer em graus variados e não acomete o sistema venoso profundo. É mais frequente ao receber alguma medicação na veia que seja irritante para a parede venosa.

Além disso, comparada a trombose venosa profunda, a tromboflebite tem menos chances de complicações graves e a evolução do quadro é muito mais favorável.

No entanto, é crucial ressaltar que o diagnóstico precoce e correto é indispensável para que o quadro não evolua para uma trombose venosa profunda.

 

Diagnóstico.

O diagnóstico pode ser feito por um cirurgião vascular ou angiologista.

Porém, é valoroso esclarecer que apesar de o diagnóstico poder ser feito por ambos os profissionais, o tratamento por meio de cirurgia vascular só é feito pelo cirurgião vascular.

Além dos sintomas apresentados pelo paciente, alguns exames também podem ser úteis para o diagnóstico.

Tratamento de trombose no braço.

O tratamento de trombose no braço pode ser feito de duas formas, com medicamentos ou cirurgia.

Geralmente, o tratamento é feito com medicamentos, já que o tratamento cirúrgico só é necessário em raros casos.

Por exemplo, nos casos de trombose no braço muito extensa ou centralizada.

O tratamento com medicamentos é feito com anticoagulantes, que são usados para impedir a formação de coágulos e tratar os coágulos existentes.

Além disso, existem anticoagulantes de dois tipos, os injetáveis e os orais.

Ambos podem ser usados no tratamento, o médico irá indicar o melhor a depender do caso específico de cada paciente.

Por exemplo, geralmente em pacientes gestantes ou que estejam internados, são usados os anticoagulantes injetáveis.

Para finalizar, o período de tratamento pode variar de pessoa para pessoa e de cada caso.

Em alguns casos, o tratamento de trombose no braço pode durar meses ou até um período indefinido.

Podendo depender das causas dessa trombose nos braços e até de como o paciente responde ao tratamento.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Trombose no braço apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

TDAH: Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade no adulto

Vascular.pro - dom, 11/06/2022 - 18:36

Pesquisas apontam que os sintomas de TDAH podem persistir durante a vida adulta, tendo impacto significante em relacionamentos, carreiras e até na segurança pessoal dos pacientes que sofrem o transtorno.

Como o transtorno é comumente mal interpretado, muitas pessoas que o têm não recebem tratamento apropriado e, como resultado disso, podem nunca desenvolver seu potencial por completo. Parte do problema é a dificuldade em diagnosticar, particularmente em adultos.

Esse questionário se destina a estimular o diálogo do médico com o paciente e a confirmar a existência de sintomas do transtorno. O conteúdo do questionário auxilia a descoberta de sintomas, deficiências e histórico que podem levar ao diagnóstico correto. Não substitui a avaliação com o médico especialista.

Este questionário é apenas um ponto de partida para levantamento de alguns possíveis sintomas primários do tdah.

O diagnóstico correto e preciso do tdah só pode ser feito através de uma longa anamnese (entrevista) com um profissional médico especializado (psiquiatra, neurologista, neuropediatra).

Muitos dos sintomas abaixo relacionados podem estar associados a outras comorbidades correlatas ao tdah e outras condições clínicas e psicológicas.

Lembre-se sempre que qualquer diagnóstico só pode ser fornecido por um profissional médico

 

Bibliografia:

Mattos P, Segenreich D, Saboya E, Louzã M, Dias G, Romano M. Adaptação Transcultural para o Português da Escala Adult Self-Report Scale (ASRS-18, versão1.1) para avaliação de sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade (TDAH) em adultos. Revista Brasileira de Psiquiatria.

O post TDAH: Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade no adulto apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Fraqueza nas pernas

Vascular.pro - ter, 11/01/2022 - 09:02

Você está sentindo ou já sentiu fraqueza nas pernas?

Nesse artigo você vai conhecer as causas de fraqueza nas pernas, seja por motivos de doenças ou outros que não necessariamente, seja uma enfermidade.

Se você está curiosa para saber o que pode ser fraqueza nas pernas, então confira abaixo.

Fraqueza nas pernas.

Geralmente, a fraqueza nas pernas não é causada por nenhum motivo grave, no entanto, é imprescindível ficar atento e procurar um médico se necessário.

Por exemplo, em casos muito frequentes e sem motivos aparentes.

A causa da fraqueza nas pernas pode ser, por exemplo, a prática intensa de exercícios físicos, no entanto, não é o único motivo.

Veja abaixo algumas das principais causas da fraqueza nas pernas.

Causas da fraqueza nas pernas:

O que pode ser fraqueza nas pernas? É isso que você vai descobrir a seguir.

Algumas das principais causas são:

A má circulação sanguínea é mais comum em pessoas que ficam em pé por muito tempo e em pessoas com mais de 50 anos, além disso, é uma das causas de fraqueza nas pernas.

Mas, geralmente é acompanhada de outros sintomas, como pés inchados e ou pernas inchadas, pele seca, pés frios e aparecimento de varizes.

 

Como dito de antemão, exercício físico intenso pode ser uma das causas, isso ocorre principalmente com pessoas que não estão acostumadas a treinar a perna.

Porém, a fraqueza para alguns minutos depois do treino.

Além disso, caso a fraqueza retorne no dia seguinte, o que é normal, em 2 a 3 dias melhora.

  • Polineuropatia periférica.

É uma doença que geralmente vem como uma consequência de alguma complicação que pode ser de saúde ou não, por exemplo, a diabetes, infecções ou exposição a substâncias tóxicas.

https://youtu.be/_A3aquB8B38

 

O AVC ou acidente vascular cerebral ocorre quando há uma interrupção brusca do fluxo sanguíneo em alguma região do cérebro. Além da fraqueza nas pernas, outros sintomas do AVC são paralisia de parte do corpo, dificuldade para falar, desmaio, tontura e dor de cabeça.

  • Hérnia de disco.

A hérnia de disco pode causar dores nas costas que podem irradiar para o glúteo ou pernas.

Além disso, pode causar fraqueza nas pernas, dificuldade para se movimentar, dormência, queimação ou formigamento nas costas, nádegas e pernas.

  • Esclerose múltipla.

A esclerose múltipla é uma doença crônica autoimune.

Essa doença compromete o sistema nervoso, o que pode causar não só fraqueza nas pernas como também no braço.

Além de dificuldade para caminhar, coordenar os movimentos, segurar a urina ou as fezes, se concentrar, enxergar, perda de memória e visão embaçada.

  • Síndrome de Guillain-Barré.

É uma doença autoimune grave que causa inflamação nos nervos, o que pode causar fraqueza dos membros e paralisia muscular.

  • Desidratação.

O calor, atividade excessiva, consumo insuficiente de líquidos, transpiração excessiva ou efeitos colaterais de medicamentos podem causar desidratação.

O principal sintoma é fraqueza no geral.

 

  • Baixo condicionamento físico.

O baixo condicionamento físico pode causar fraqueza muscular, mesmo em atividades simples como subir escadas.

O cálcio e vitamina D são minerais muito importantes para a garantia do funcionamento dos músculos.

A falta desses nutrientes pode ocasionar uma fraqueza muscular que se torna frequente.

Tratamento de fraqueza nas pernas.

O tratamento para fraqueza nas pernas vai depender da causa, por exemplo, se o motivo for alguma doença, o foco será tratar a doença.

Já em caso de falta de nutrientes importantes, o médico pode receitar uma suplementação ou até mesmo uma dieta rica nesses nutrientes.

Outro exemplo é para tratar a má circulação, seu médico pode te indicar exercícios físicos ou vasculares.

Então, não tem como afirmar qual o melhor tratamento já que depende de uma série de fatores.

Portanto, se a fraqueza é frequente, você não sabe o motivo e, em especial, se for acompanhado de outros sintomas, agende uma consulta médica. Apenas um especialista poderá te orientar melhor de acordo com seus sintomas.

Quando devo me preocupar?

Geralmente, quem já é diagnosticado com alguma doença já tem ciência de que isso pode ocorrer.

Além disso, quem começa a treinar pernas na maioria das vezes já percebe que esse é o motivo.

Até mesmo em um caso atípico, como de desidratação.

Porém, quando se torna frequente e acompanhado de outros sintomas que podem ser graves, então você deve se preocupar. Procure ajuda o mais rápido possível para garantir que não se trata de nada grave.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Fraqueza nas pernas apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Pilates

Vascular.pro - sab, 10/29/2022 - 09:10

Nesse artigo vou falar sobre tudo o que você precisa saber sobre o Pilates e seus benefícios.

O pilates foi criado na Alemanha na década de 20 por Joseph Hibertus Pilates.

Joseph usava molas para a execução dos exercícios físicos com intuito de recuperação de lesões.

O resultado ao usar molas é promover resistência, além de assistência na execução dos exercícios.

Acima de tudo, o intuito é aumentar a força, a resistência à fadiga e a potência muscular.

Além de ter criado o método pilates, Joseph abriu seu primeiro estúdio de Pilates em Nova York no ano de 1923.

Mas, você sabe o que é esse método e quais são os seus benefícios? Confira abaixo.

O que é pilates?

Pilates é um método de exercícios que tem como objetivo melhorar a consciência corporal, como resultado alcançando diversos outros benefícios.

Além disso, é composto também por alongamentos feitos usando o peso do próprio corpo.

Acima de tudo, o pilates é considerado também como uma técnica de reeducação do movimento objetivando trabalhar todo o corpo.

Como resultado trazendo equilíbrio muscular e mental.

Benefícios do pilates.

A prática do pilates proporciona diversos benefícios para quem faz, alguns deles são:

  • Deixa o corpo mais tonificado.
  • Melhora a flexibilidade.
  • Aumenta a frequência cardíaca.
  • Ajuda a melhorar as dores nas costas.
  • Aumenta a densidade óssea.
  • Ajuda a ter mais flexibilidade.
  • Melhora o equilíbrio.
  • Ajuda a desenvolver a concentração.
  • Auxilia na perda de peso.
  • Melhora a postura.
  • Aumenta a sensação de disposição.
  • Ajuda a reduzir o estresse.
Para que o pilates é indicado?

O pilates é indicado para todas as pessoas, sejam elas jovens, idosos ou com alguns problemas, por exemplo, dores nas costas.

Geralmente é indicado para jovens, sejam crianças ou adolescentes, que precisam melhorar a postura e a flexibilidade.

Além disso, a prática do pilates proporciona para esses jovens um desenvolvimento e crescimento mais saudável.

Em contrapartida, pode ser indicado também para idosos com o intuito de prevenir quedas e fraturas.

O pilates proporciona aos idosos mais flexibilidade, mobilidade, coordenação e equilíbrio.

Como dito anteriormente, pode ser indicado para pessoas com problemas que causam dores nas costas, por exemplo, a lombalgia.

Mas, não para por aí, o pilates também é indicado para recuperar a mobilidade após um trauma, como luxação muscular e ossos fraturados.

A verdade é que o pilates, pode ser adaptado para cada fase da vida e de acordo com o objetivo de cada pessoa, por esse motivo indicamos para todos que queiram usufruir dos seus benefícios.

Com exceção daquelas que possuam um caso raro que torne o pilates contraindicado para ela.

 

Contraindicações.

Diferente de outros exercícios, o pilates é um dos raros exercícios físicos que podem ser feitos por qualquer pessoa, inclusive aquelas com pouco condicionamento físico.

Além disso, as contraindicações são raras. São raríssimos os casos, onde há restrição a prática do pilates. No entanto, geralmente um médico especialista já indica e em alguns casos até na avaliação do instrutor de pilates já é possível perceber essa restrição.

Acima de tudo, algumas pessoas podem necessitar de atenção especial e de exercícios adaptados a sua situação ou necessidade.

Alguns exemplos de pessoas que precisam de atenção especial são:

  • Pessoas com hérnia de hiato.

Essas pessoas precisam de atenção especial quando se trata de exercícios que usam muito a musculatura do abdome, já que o esforço pode provocar refluxo em pessoas que sofrem de hérnia de hiato.

Se você tem diabetes, avise ao instrutor, dessa forma ele vai tomar cuidado com os movimentos, o uso do peso do corpo e até as molas usadas na hora de fazer os exercícios.

Dessa forma evita que o aluno ultrapasse os limites para ele.

  • Hipertensos.

Alguns movimentos, principalmente aqueles realizados segurando a respiração podem causar picos de pressão.

Por esse motivo, os hipertensos devem ter uma atenção especial do instrutor.

  • Pessoas com condromalácia patelar.

Quem sofre com condromalácia patelar geralmente não pode praticar exercícios.

No entanto, no pilates o instrutor consegue moderar a intensidade dos exercícios para que o aluno não sinta dores.

Para finalizar, mesmo que o pilates praticamente não tenha contra indicações, sempre informe o instrutor sobre suas limitações, dores e doenças diagnosticadas, mesmo as que não sejam ortopédicas.

Além disso, uma consulta com um médico antes de começar a prática do pilates ou de qualquer outro exercício físico é sempre recomendado.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Pilates apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Autocompaixão

Vascular.pro - sex, 10/28/2022 - 11:16

A autocompaixão é a capacidade de tratar-se a si mesmo com a mesma gentileza, preocupação e apoio que teria com alguém querido.

form_structure_1=[[{"form_identifier":"","name":"fieldname1","shortlabel":"","index":0,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"1. Sou realmente cr\u00edtico e severo com meus pr\u00f3prios erros e defeitos.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname2","shortlabel":"","index":1,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"2. Quando fico \u201cpra baixo\u201d, n\u00e3o consigo parar de pensar em tudo que est\u00e1 errado comigo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname3","shortlabel":"","index":2,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"3. Quando as coisas v\u00e3o mal para mim, vejo as dificuldades como parte da vida e que acontecem com todo mundo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname4","shortlabel":"","index":3,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"4. Quando penso nos meus defeitos, eu me sinto realmente isolado do resto do mundo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname5","shortlabel":"","index":4,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"5. Tento ser am\u00e1vel comigo quando me sinto emocionalmente mal.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname6","shortlabel":"","index":5,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"6. Quando eu falho em algo importante para mim, fico totalmente consumido por sentimentos de incompet\u00eancia.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname7","shortlabel":"","index":6,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"7. Quando me sinto realmente mal, lembro que h\u00e1 outras pessoas no mundo se sentindo como eu.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname8","shortlabel":"","index":7,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"8. Quando as coisas est\u00e3o realmente dif\u00edceis, costume ser duro comigo mesmo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname9","shortlabel":"","index":8,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"9. Quando algo me deixa aborrecido, tento buscar equil\u00edbrio emocional.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname10","shortlabel":"","index":9,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"10. Quando percebo que fui inadequado, tento lembrar que a maioria das pessoas tamb\u00e9m passa por isso.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname11","shortlabel":"","index":10,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"11. Sou intolerante e impaciente com os aspectos de que n\u00e3o gusto na minha personalidade.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname12","shortlabel":"","index":11,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"12. Quando estou passando por um momento realmente dif\u00edcil, eu me dou o apoio e o cuidado de que preciso.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname13","shortlabel":"","index":12,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"13. Quando fico \u201cpra baixo\u201d, sinto que a maioria das pessoas \u00e9 mais feliz do que eu.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname14","shortlabel":"","index":13,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"14. Quando algo doloroso acontece, tent over a situa\u00e7\u00e3o de forma equilibrada.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname15","shortlabel":"","index":14,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"15. Tento entender meus defeitos como parte da condi\u00e7\u00e3o humana.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname16","shortlabel":"","index":15,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"16. Quando vejo caracter\u00edsticas que eu n\u00e3o gosto em mim, sou duro comigo mesmo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname17","shortlabel":"","index":16,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"17. Quando eu falho em algo importante para mim, tento ver as coisas por outro \u00e2ngulo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname18","shortlabel":"","index":17,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"18. Quando passo por dificuldades emocionais, costumo pensar que as coisas s\u00e3o mais\u003Cbr \/\u003Ef\u00e1ceis para as outras pessoas.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname19","shortlabel":"","index":18,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"19. Sou bondoso comigo quando estou passando por algum sofrimento.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname20","shortlabel":"","index":19,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"20. Quando algo me deixa incomodado, sou completamente tomado por sentimentos negativos.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname21","shortlabel":"","index":20,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"21. Costumo ser um pouco insens\u00edvel comigo quando estou sofrendo.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname22","shortlabel":"","index":21,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"22. Quando fico \u201cpra baixo\u201d, tento aceitar e entender meus sentimentos.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname23","shortlabel":"","index":22,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"23. Sou compreensivo com meus pr\u00f3prios erros e defeitos.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname24","shortlabel":"","index":23,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"24. Quando algo doloroso acontece comigo, costumo reagir de forma exagerada.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname25","shortlabel":"","index":24,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"25. Quando eu falho em algo importante para mim, costumo me sentir muito sozinho nessa situa\u00e7\u00e3o.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname26","shortlabel":"","index":25,"ftype":"fdropdown","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"26. Tento ser compreensivo e paciente com os aspectos da minha personalidade dos quais n\u00e3o gosto.","size":"medium","required":false,"exclude":false,"toSubmit":"text","merge":0,"choiceSelected":"","select2":false,"multiple":false,"vChoices":1,"showDep":false,"choices":["Quase nunca","Raramente","Algumas vezes","Muitas vezes","Quase sempre"],"optgroup":[false,false,false,false,false],"choicesVal":["1","2","3","4","5"],"choicesDep":[[],[],[],[],[]],"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname27","shortlabel":"","index":26,"ftype":"fPageBreak","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Page Break","fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname28","shortlabel":"","index":27,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Bondade Consigo (Autobondade)","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(fieldname5+fieldname12+fieldname19+fieldname23+fieldname26)\/5","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname29","shortlabel":"","index":28,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Autocr\u00edtica Grave (Auto-ajuizamento\/autocriticismo)","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(fieldname1+fieldname8+fieldname11+fieldname16+fieldname21)\/5","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname30","shortlabel":"","index":29,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Senso de Humanidade (Humanidade Comum)","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(fieldname3+fieldname7+fieldname10+fieldname15)\/4","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname31","shortlabel":"","index":30,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Isolamento","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(fieldname4+fieldname13+fieldname18+fieldname25)\/4","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname32","shortlabel":"","index":31,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Mindfulness","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(fieldname9+fieldname14+fieldname17+fieldname22)\/4","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname33","shortlabel":"","index":32,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Sobre-identifica\u00e7\u00e3o","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(fieldname2+fieldname6+fieldname20+fieldname24)\/4","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"dependencies":[{"rule":"","complex":false,"fields":[""]}],"form_identifier":"","name":"fieldname34","shortlabel":"","index":33,"ftype":"fCalculated","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Total","predefined":"","required":false,"exclude":false,"size":"medium","eq":"(((fieldname5+fieldname12+fieldname19+fieldname23+fieldname26)\/5)+((6-fieldname1+6-fieldname8+6-fieldname11+6-fieldname16+6-fieldname21)\/5)+((fieldname3+fieldname7+fieldname10+fieldname15)\/4)+((6-fieldname4+6-fieldname13+6-fieldname18+6-fieldname25)\/4)+((fieldname9+fieldname14+fieldname17+fieldname22)\/4)+((6-fieldname2+6-fieldname6+6-fieldname20+6-fieldname24)\/4))\/6","min":"","max":"","suffix":"","prefix":"","decimalsymbol":".","groupingsymbol":"","readonly":true,"currency":false,"noEvalIfManual":true,"formatDynamically":false,"hidefield":false,"fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname36","shortlabel":"","index":34,"ftype":"fhtml","userhelp":"","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","fcontent":"\u003Cp\u003EAs pontua\u00e7\u00f5es m\u00e9dias gerais de autocompaix\u00e3o tendem a ser em torno de 3,0 na escala de 1 a 5, para que voc\u00ea possa interpretar sua pontua\u00e7\u00e3o geral de acordo.\u003Cbr \/\u003E\nComo um guia aproximado:\u003C\/p\u003E\n\n\u003Cp\u003E1-2,5 para sua pontua\u00e7\u00e3o geral de autocompaix\u00e3o indica que voc\u00ea tem baixa autocompaix\u00e3o.\u003Cbr \/\u003E\n2,5-3,5 indica que voc\u00ea \u00e9 moderado.\u003Cbr \/\u003E\n3,5-5,0 significa que voc\u00ea tem alta autocompaix\u00e3o.\u003Cbr \/\u003E\nLembre-se de que pontua\u00e7\u00f5es mais altas para as subescalas Autojulgamento, Isolamento e Superidentifica\u00e7\u00e3o indicam menos autocompaix\u00e3o, enquanto pontua\u00e7\u00f5es mais baixas nessas dimens\u00f5es s\u00e3o indicativas de mais autocompaix\u00e3o (essas subescalas s\u00e3o codificadas automaticamente quando sua autocompaix\u00e3o geral pontua\u00e7\u00e3o \u00e9 calculada.)\u003C\/p\u003E\n","fBuild":{},"parent":""},{"form_identifier":"","name":"fieldname35","shortlabel":"","index":35,"ftype":"fCommentArea","userhelp":"Neff, K. D. (2003). Development and validation of a scale to measure self-compassion. Self and Identity, 2, 223-250.\u003Cbr\u003E\nSouza, L. K. de, & Hutz, C. S. (2016). Escala de Autocompaix\u00e3o. In C. S. Hutz (Ed.), Avalia\u00e7\u00e3o em Psicologia Positiva (171-173). S\u00e3o Paulo: CETEPP.","audiotutorial":"","userhelpTooltip":false,"tooltipIcon":false,"csslayout":"","title":"Bibliografia","fBuild":{},"parent":""}],{"0":{"title":"Escala de autocompaix\u00e3o","description":"A SCS, medida de autorrelato mais utilizada para avaliar a autocompaix\u00e3o. Constitu\u00edda por 26 itens visa avaliar os tr\u00eas componentes b\u00e1sicos da autocompaix\u00e3o: Autobondade, entendida como a capacidade para ser am\u00e1vel, bondoso, gentil e compreens\u00edvel para consigo pr\u00f3prio, em vez de ser demasiado cr\u00edtico e punitivo; Condi\u00e7\u00e3o humana (ou Humanidade Comum), que significa entender as pr\u00f3prias experi\u00eancias como parte de uma experi\u00eancia humana maior; e o Mindfulness, que se refere a uma consci\u00eancia equilibrada e aceita\u00e7\u00e3o dos pr\u00f3prios sentimentos.\nOs itens est\u00e3o agrupados em seis subescalas: Autobondade(5 itens) (e.g., \u201cTento ser compreensivo e paciente em rela\u00e7\u00e3o aos aspetos da minha personalidade e que n\u00e3o gosto\u201d); Autojulgamento (autocriticismo) (5 itens) (e.g., \u201cDesaprovo-me e fa\u00e7o julgamentos acerca dos meus erros e inadequa\u00e7\u00f5es\u201d); Condi\u00e7\u00e3o Humana (4 itens) (e.g., \u201cTento ver os meus erros e falhas como parte da condi\u00e7\u00e3o humana\u201d); Mindfulness (4 itens) (e.g., \u201cQuando alguma coisa dolorosa acontece tento ter uma vis\u00e3o equilibrada da situa\u00e7\u00e3o\u201d) e Sobre-identifica\u00e7\u00e3o (4 itens) (e.g., \u201cQuando me sinto em baixo tendo a ficar obcecado com tudo aquilo que est\u00e1 errado\u201d). Cada item \u00e9 cotado numa escala tipo Likert de 5 pontos (1 = Quase nunca; 5 = Quase sempre).","formlayout":"top_aligned","formtemplate":"cp_cff_13","evalequations":1,"evalequationsevent":2,"loading_animation":0,"autocomplete":1,"persistence":0,"animate_form":0,"customstyles":""},"formid":"cp_calculatedfieldsf_pform_1"}];

O post Autocompaixão apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Bioimpedância

Vascular.pro - qui, 10/27/2022 - 08:49

Nesse artigo você vai saber tudo sobre o exame de bioimpedância.

Acima de tudo, o que é bioimpedância, para que serve e como é feito.

Se você nunca ouviu falar sobre esse exame, ou já ouviu falar, mas ainda tem dúvidas do que se trata, então com certeza esse post será útil.

O índice de massa corpórea precisa somente do peso e altura e pode ser feito na balança comum e usando uma calculadora de IMC. A bioimpedância entrega mais informação. Assim sendo, a estimativa de gordura corporal calculada é mais precisa na bioimpedância.

Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre bioimpedância.

O que é bioimpedância?

Bioimpedância ou bioimpedância elétrica é um exame que tem como objetivo avaliar a composição corporal.

Por exemplo, a massa magra, gordura corporal e água corporal total.

Analisando esses e outros dados é possível ter informações mais precisas relacionadas ao estado nutricional do paciente.

Para que serve a bioimpedância?

Através do exame você consegue ter uma avaliação mais completa e precisa para analisar a composição corporal e diagnosticar sobrepeso ou obesidade.

Além disso, através do resultado obtido é possível definir uma dieta ou tratamento baseado nas necessidades únicas do paciente, seja para perder peso ou ganhar massa muscular.

Através da repetição do exame é possível analisar também se o paciente está perdendo peso, se está mantendo o peso ou ganhando massa muscular.

Uma pessoa que tem o peso falsamente ideal pode ter um acúmulo de gordura visceral prejudicial à saúde. Assim como uma pessoa que à primeira vista está pesando mais que o peso ideal pode ter massa magra que a fez pesar mais.

Por esse motivo, o exame de bioimpedância se torna tão eficaz e valoroso, através dele é possível avaliar se a pessoa está mesmo saudável.

Como é feito o exame de bioimpedância?

O exame é simples e indolor, além disso, não é invasivo, é rápido, seguro e livre de radiação.

O exame é realizado em balanças que possuem placas de metal que são capazes de conduzir uma corrente elétrica que atravessa o corpo.

Essa corrente é como um sinal, é muito leve, fraco e atua circulando livremente entre o líquido do tecido muscular até que se depara com a resistência do tecido adiposo, a gordura. Não dá choque!

É essa resistência que permite a medição do percentual de gordura e massa magra.

Mas, é imprescindível ressaltar que além do percentual de gordura e massa magra, o sexo, altura e peso da pessoa também influencia no resultado.

Qual o preparo antes do exame?

No dia anterior ao exame beba bastante água para se certificar de estar bem hidratado. Além disso, no dia do exame o jejum deve ser de 3 a 4 horas antes da avaliação, este jejum deve ser de alimentos e líquidos.

Duas horas antes do exame deve-se beber de dois a quatro copos de água e urinar um pouco antes da realização do exame.

Evite consumo excessivo de alimentos ricos em cafeína, por exemplo, chocolates, chás escuros, cafés e evitar consumir bebidas alcoólicas 8 horas antes do exame, além de afastar-se do fumo.

Para mulheres, o ideal é evitar realizar o exame no período menstrual.

Para finalizar, não passar creme nos pés e nas mãos. Além de evitar atividades físicas no dia anterior ao exame, preferir usar roupas o mais leves possível e retirar metais do corpo, por exemplo, brincos, anéis, colares, pulseiras e piercings.

Geralmente esse é o preparo, no entanto, é comum que cada local envie ou informe ao paciente sobre qual o preparo antes do exame de bioimpedância.

O paciente deve seguir o preparo informado pelo local onde vai realizar o exame, além de se possível tirar todas as dúvidas com seu médico ou quando for agendar o exame.

Quem não pode fazer bioimpedância?

Algumas pessoas não podem fazer o exame de bioimpedância, são elas:

  • Pessoas que usam marcapasso ou outro aparelho elétrico implantado no corpo.

A passagem da corrente elétrica que ocorre no exame, mesmo sendo leve, pode influenciar no funcionamento do marcapasso ou outros aparelhos elétricos implantados no corpo.

  • Pessoas com peças metálicas no corpo tais como placas e parafusos.

A grande maioria dos metais são condutores de corrente elétrica que podem alterar os valores da sua composição corporal.

Portanto, nesse caso não há garantia de que o resultado do exame seja correto.

  • Mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez.

Não existem estudos que comprovam se a corrente elétrica que passa pelo corpo durante o exame pode fazer mal ou não para o bebê. Por esse motivo, mesmo sendo uma corrente muito leve, não é recomendado que mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez façam o exame de bioimpedância.

Veja também: Calculadora de Índice de Adiposidade Corporal e Calculadora Corporal Completa

 

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Bioimpedância apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Páginas

Subscrever Curso OsiriX agregador - Vascular