fbpx Leitor de feeds | Curso OsiriX
Back to Top

Leitor de feeds

TV Brasil em Junho 2022 Conscientização do Lipedema

Vascular.pro - sex, 06/17/2022 - 15:57
Conheça os sintomas do lipedema, doença crônica pouco conhecida.

Junho é o mês de conscientização para o lipedema. Doença crônica pouco conhecida, ela pode ser a causa do inchaço e acúmulo de gordura nas pernas.

O problema atinge principalmente as mulheres, já que é ligada ao hormônio estrogênio. Saiba quais os sinais da doença.

Fonte: TV Brasil

Você sabe o que é lipedema?

Junho é o mês de conscientização para o lipedema. Doença pouco conhecida e que afeta muitas mulheres, por estar relacionado ao estrogênio, causando acúmulo de gordura nas pernas e pele sensível. As mudanças podem provocar também lesões nos joelhos, além de ansiedade em um nível mais elevado.

Segundo o especialista, é fundamental saber diferenciar os casos de lipedema dos casos de obesidade, para que o tratamento correto seja aplicado.

Fonte: TV Brasil

Diagnóstico correto facilita dia a dia de mulheres com lipedema

Você sabe o que é lipedema? A inflamação, relacionada com o estrogênio, e por isso muito mais comum entre as mulheres, provoca o acúmulo de gordura nas pernas e deixa a pele da região muito sensível. O peso das pernas gera fadiga, problemas no joelho, além de ansiedade e estresse.

Por falta de um diagnóstico correto, muitas mulheres com lipedema são confundidas com mulheres obesas, e são submetidas a dietas e até a cirurgia bariátrica. Para diminuir os erros de diagnóstico, o mês de junho é dedicado à conscientização sobre o tema.

Fonte: TV Brasil

Doença pouco conhecida, lipedema pode ser causa de inchaço nas pernas

O inchaço e acúmulo de gordura nas pernas, principalmente em mulheres, é sinal de uma doença crônica ainda pouco conhecida: o lipedema.

Junho é o mês de alerta sobre o problema, que está relacionado ao hormônio estrogênio.

Fonte: TV Brasil

O post TV Brasil em Junho 2022 Conscientização do Lipedema apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Livros publicados pelo Dr. Alexandre Amato

Curso OsiriX - ter, 06/07/2022 - 11:40

Para todos:

Dieta Anti-inflamatória Estratégica: a sua dieta pessoal. Complete seu conhecimento nutricional com este livro. Cansada(o) de procurar a dieta ideal? Já pensou que não existe uma dieta perfeita que sirva para todo mundo? Quando você pensa em se alimentar de forma saudável, você sabe o que é saudável? Será que o “saudável” que você imagina, não pode ser uma ideia implantada por alguém querendo vender um produto? O que é saudável para você, é para todo mundo? Mas se não existe uma dieta pronta de prateleira que funciona para todo mundo, como fazer para descobrir quais são os alimentos mais saudáveis para você? Pare de ser direcionada a dietas da moda, que podem funcionar para uma ou outra pessoa, mas não necessariamente para você. Aprenda a julgar quais são os alimentos saudáveis. Entenda como melhorar drasticamente a sua qualidade de vida, tratando os sintomas que te afligem. Compreenda como passar pela fase do autoconhecimento, ter uma estratégia real e customizada para impactar positivamente sua vida. Reeduque-se! 

 

Dieta Cetogênica Estratégica: transforme gordura em energia. Perder peso, obter mais energia de forma saudável, melhorar a sua saúde, diminuir inflamações e, além de tudo, tratar várias doenças, incluindo o lipedema... tudo isso pode ser alcançado queimando gordura de uma forma natural. Esse é um mecanismo ancestral do nosso corpo que foi desligado com o acesso moderno e infinito aos carboidratos, e pode ser ativado com a uma simples estratégia alimentar. Todos nascemos com o instinto da alimentação rica em nutrientes e gorduras saudáveis, porém o excesso de informação conflitante, os valores comerciais e acesso aos alimentos pobres nutricionalmente (mas acrescidos de sabor viciante) nos direcionou à energia mais facilmente acessível: os carboidratos. A dieta cetogênica vem sendo estudada há décadas e, cada vez mais, impressiona por suas qualidades terapêuticas, porém ainda há muita desconfiança por parte de profissionais da saúde que não a estudaram profundamente. Com certeza você já ouviu isso: A chave de tudo é comer menos carboidratos e mais gorduras. Mas como equilibrar isso com as diretrizes atuais, mas antagônicas, que sugerem até 60% de carboidratos na alimentação. Quem está certo? Aqui você encontrará as estratégias necessárias e mais 77 receitas cetogênicas, para combinar o consumo de gorduras e proteínas de forma saudável. Você verá como perder peso, e que obter saúde é muito mais fácil e gostoso do que se imagina. Fundamentado em décadas de estudos clínicos e nos resultados extraordinários que observou em pacientes a quem aconselhou parar de comer carboidratos, o Dr. Alexandre Amato apresenta, argumentos contundentes contra a onipresença do carboidrato na alimentação atual. A Dieta cetogênica estratégica é fácil de seguir, simples de manter e clinicamente comprovada. De acessível leitura, instigante e ratificado por uma pesquisa criteriosa, Dieta cetogênica estratégica apresenta uma tática alimentar com leveza para os leigos e profundidade para os profissionais da saúde; através de uma nova perspectiva, é de importância vital para os problemas de saúde mais preocupantes de nossos tempos. 

 

Breve História da Cirurgia: Este livro relembra, de forma abreviada, os momentos mais importantes que culminaram no desenvolvimento atual da cirurgia no Brasil e no mundo. Cirurgiões importantes, descobertas interessantes, curiosidades e os pilares da cirurgia moderna. A História da Medicina voltada para os procedimentos invasivos, contada de maneira bem sucinta, objetiva, leve e divertida. 

 

Para profissionais da saúde:

Procedimentos Médicos - Técnica e Tática: Mesmo os procedimentos médicos mais simples podem colocar em risco a vida de um paciente, por isso, devem ser realizados com cautela e precisão. Esses são aspectos que orientaram a concepção desta obra. Procedimentos Médicos | Técnica e Tática, agora em sua segunda edição, totalmente revisada e aprimorada, apresenta as melhores tecnologias para cada situação clínica, desde o preparo e o cuidado do paciente até os possíveis erros que o colocam em risco. Divididos em 14 seções, seus 83 capítulos são padronizados por tópicos que abrangem os principais itens para a execução de cada procedimento, com ilustrações dos materiais e passo a passo das técnicas. Ao mesmo tempo, teórica e prática, esta obra é indicada para estudantes, enfermeiros, cirurgiões e demais profissionais da área da saúde. https://bio.amato.io/procedimentos

 

Metodologia da Pesquisa Científica. A investigação científica, ou pesquisa científica, possuem suas normas e regras, das quais são caminhos que levam ao êxito do estudo. Esta publicação tem por objetivo mostrar, de forma clara e simples, essas vias na área da ciência, auxiliando em todas as etapas da metodologia da pesquisa científica: planejamento, elaboração, conclusão, até a apresentação final. 

 

O Dr. Alexandre Amato publicou o livro "O Reembolso Médico" onde explica em pormenores todos os aspectos necessários para fazer o reembolso médico funcionar para o paciente e para o médico. O Reembolso Médico é a maneira mais inteligente de atuar profissionalmente na saúde. O equilíbrio entre o poder decisório, a informação médica e o poder financeiro permitem a realização da medicina sem influência de interesses escusos. É bom para o paciente, que recebe a informação de saúde da fonte, sem filtro econômico da operadora de saúde, e para o médico, que não tem influência da operadora de saúde nas suas recomendações. E, para que essa relação funcione, é necessário resolutividade e alta qualidade no atendimento médico, requisitos benéficos para a operadora de saúde. O Reembolso Médico é salutar para todos os envolvidos, por isso, este livro ensina a aplicá-lo na prática diária. Com ele é possível entender como funciona o modelo de serviço de saúde e seu financiamento. Sem esse conhecimento, o médico se torna dependente de intermediários, especialistas em diminuir a importância e o valor do próprio médico. Todo profissional da medicina deveria saber como o Reembolso Médico funciona, quais são os seus direitos e os direitos dos pacientes, de modo a ajudá-los em todos os aspectos. 

 

Tags: livros
Categorias: OsiriX

Como funciona a dieta cetogênica

Vascular.pro - sex, 06/03/2022 - 11:53

Talvez você já tenha ouvido falar da dieta cetogênica, mas você sabe como funciona?

A dieta cetogênica surgiu como um tratamento para pacientes com crises convulsivas nos primeiros anos do século 20.

No entanto, a dieta cetogênica se tornou popular entre as pessoas que não têm crises convulsivas devido ao seu efeito de perda de peso.

Porém, como funciona a dieta cetogênica?

O que faz uma dieta criada para tratar crises convulsivas ser tão popular entre as pessoas que desejam perder peso?

Confira agora como funciona a dieta cetogênica e se vale a pena aderir com a intenção de perda de peso.

Como funciona a dieta cetogênica

Essa dieta consiste no aumento de consumo de gorduras boas.

Além disso, quase todos os alimentos ricos em carboidratos são eliminados da alimentação diária.

Acima de tudo, é importante consumir uma grande quantidade de proteínas.

Mas, como funciona essa dieta?

A gordura passa a se tornar a principal fonte de energia do corpo, já que o carboidrato que é usado como fonte de energia foi quase eliminado da alimentação.

Como resultado, é possível notar uma perda de peso considerável.

Qual a melhor dieta?

Existem diversos tipos de dieta hoje em dia e talvez você até esteja se perguntando qual a melhor dieta para fazer.

A dieta cetogênica é considerada uma das melhores dietas da atualidade porque protege a massa magra e te faz perder somente gordura.

Além disso, proporciona bem estar e energia.

Acima de tudo, se feita da maneira correta, é possível ver bons resultados tanto no quesito emagrecimento quanto na qualidade de vida já no primeiro mês.

Em 2021, a dieta cetogênica estava entre as dietas eleitas como a melhor dieta.

Portanto, vale a pena aderir a dieta com a intenção de perder peso.

Dieta cetogênica x Dieta low carb

Por se tratar de uma dieta onde se prioriza o consumo de gorduras boas e proteínas, a dieta cetogênica é muitas vezes confundida com a dieta low carb.

No entanto, existem algumas diferenças entre as duas.

São elas:

Na dieta cetogênica o consumo de carboidratos permitido é de no máximo 50 gramas por dia, já na low carb é permitido até 150 gramas por dia.

Além disso, a perda de peso na dieta low carb é mais lenta do que na cetogênica.

Como fazer

Agora que você já sabe como funciona a dieta cetogênica, confira abaixo como fazer.

Como dito anteriormente, o consumo de carboidratos pode ser de no máximo 50 gramas por dia.

Por esse motivo, a ingestão de gorduras boas e proteínas deve aumentar.

Por exemplo, deve-se consumir pelo menos 20% de proteínas.

Para isso, inclua no almoço e no jantar alimentos como carne, peixe ou frango.

Além disso, inclua queijos e ovos nos lanches.

Não se esqueça também de incluir na sua alimentação diária alimentos ricos em gorduras boas.

Alguns exemplos de alimentos ricos em gorduras boas são:

  • Coco
  • Abacate
  • Azeite de oliva
  • Amêndoas
  • Nozes
  • Leite de amêndoas
  • Creme de leite
  • Leite de coco
  • Amendoim
  • Castanhas
  • Manteiga de amendoim

Esses são só alguns exemplos de alimentos ricos em gorduras boas, veja lista de alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica.

É importante saber quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica, dessa forma você garante ter melhores resultados.

Acima de tudo, garante que está fazendo a dieta de forma correta e não corre o risco de comer alimentos que são considerados proibidos nesta dieta.

Dieta Cetogênica Estratégica: transforme gordura em energia

Conclusão

Este artigo teve como intuito informar sobre como funciona a dieta cetogênica.

Além disso, compartilhar informações importantes sobre a dieta.

Por exemplo, como fazer e quais são os alimentos permitidos e proibidos.

Portanto, se você estava com dúvidas sobre essa dieta que se tornou tão popular, tenho certeza de que esse artigo foi útil.

O post Como funciona a dieta cetogênica apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica

Vascular.pro - sex, 06/03/2022 - 11:45

Você sabe quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica?

A dieta cetogênica ajuda a perder peso através de uma alimentação com quase nada de carboidratos, uma grande quantidade de gorduras boas e proteínas.

No entanto, é comum algumas pessoas começarem sem saber direito o que está fazendo e consumindo alimentos considerados proibidos na dieta cetogênica.

Portanto, se você quer começar a fazer a dieta cetogênica do jeito certo, continue lendo esse artigo.

Tenho certeza de que será extremamente útil para você.

Quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica.

Como dito anteriormente, na dieta cetogênica não se come quase nada de carboidratos.

Enquanto que as gorduras boas e as proteínas são a parte principal da alimentação na dieta cetogênica.

Porém, para não haver confusão e ingerir algum alimento proibido pensando que é permitido, é importante saber quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica.

Confira abaixo quais são esses alimentos.

Alimentos permitidos na dieta cetogênica

Essa é uma lista de alimentos permitidos na dieta cetogênica, anote, tire print ou imprima para sempre que precisar consultar.

  • Carne suína
  • Carne bovina
  • Frango
  • Peixes, principalmente os que possuem mais gorduras como o salmão, a sardinha e a truta
  • Embutidos como bacon, presunto e chouriço, de preferência os artesanais que são de melhor qualidade
  • Aeite de oliva
  • Manteiga
  • Creme de leite
  • Iogurte natural e sem açúcar
  • Leite de amêndoas
  • Leite de coco
  • Queijos, como por exemplo o cottage, Brie, parmesão, cheddar, feta, suíço, mussarela
  • Cream cheese
  • Amendoim
  • Nozes
  • Castanhas
  • Castanha do Pará
  • Avelã
  • Amêndoas
  • Manteiga de amendoim
  • Pasta de castanha de caju
  • Pasta de amêndoa
  • Abacate
  • Coco
  • Morango
  • Amora
  • Framboesa
  • Cereja
  • Espinafre
  • Alface
  • Brócolis
  • Cebola
  • Abobrinha
  • Pepino
  • Couve flor
  • Couve
  • Aipo
  • Sementes, como por exemplo a de girassol, chia, gergelim e linhaça
  • Maionese
  • Mostarda
  • Azeitona

Esses são só alguns exemplos de alimentos permitidos na dieta cetogênica, no entanto, essa é uma lista muito boa para quem deseja começar a fazer essa dieta.

Alimentos proibidos na dieta cetogênica

Confira abaixo alguns exemplos de alimentos proibidos na dieta cetogênica.

  • Arroz
  • Macarrão
  • Aveia
  • Amido de milho
  • Cereais
  • Soja
  • Feijão
  • Ervilha
  • Grão de bico
  • Lentilha
  • Farinha de trigo
  • Torrada
  • Pão
  • Batata
  • Batata doce
  • Banana
  • Bolos
  • Doces
  • Biscoitos
  • Chocolate
  • Caramelo
  • Açúcar
  • Açúcar mascavo
  • Vitaminas
  • Sorvetes
  • Chocolate em pó
  • Pizza
  • Lasanha
  • Leite de vaca
  • Bebidas alcoólicas

Além disso, tome cuidado com os alimentos industrializados, confira sempre o rótulo para saber se tem por exemplo carboidratos e a quantidade.

Acima de tudo, conferir se tem açúcar ou algum dos alimentos proibidos.

Quantas refeições fazer por dia?

Saber quais alimentos são permitidos e proibidos é uma grande dúvida de quem deseja começar a dieta cetogênica.

No entanto, uma outra dúvida que é tão grande quanto a anterior é quantas refeições fazer por dia.

Na dieta cetogênica não existe uma quantidade exata de refeições por dia.

Portanto, a quantidade de refeições vai variar de pessoa para pessoa, já que cada pessoa sente fome em momentos diferentes.

O importante é não ficar com fome e está sempre saciada.

Já que o objetivo dessa dieta é reduzir drasticamente a quantidade de carboidratos e aumentar a queima de gordura, não reduzir a quantidade de refeições diárias.

Diferente de algumas dietas em que quase se passa fome de tão reduzida que é a quantidade de refeições por dia.

Para saber mais:

Dieta Cetogênica Estratégica: Transforme Energia em Gordura

Conclusão

Esse artigo teve como o intuito compartilhar uma lista de alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica.

Além disso, informar sobre aspectos importantes dessa dieta.

Como por exemplo, sobre uma dúvida muito comum que é a quantidade de refeições diárias recomendadas.

Acima de tudo, informar sobre a importância de tomar cuidado com alimentos industrializados.

O post Quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Cardápio para dieta cetogênica

Vascular.pro - sex, 06/03/2022 - 11:31

Quer emagrecer? Confira o cardápio para dieta cetogênica.

Se você está sem ideia de como começar a dieta cetogênica, então esse cardápio pode servir como um guia.

Esse cardápio para dieta cetogênica é de 7 dias, mas, você pode adaptar nas próximas semanas para não enjoar.

No entanto, não esqueça de conferir quais são os alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica para não errar na hora de montar seu cardápio.

Cardápio para dieta cetogênica

O cardápio foi feito para 7 dias e para as 5 principais refeições do dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

Confira abaixo esse cardápio da dieta cetogênica para emagrecer que está bem fácil de seguir.

Primeiro dia da dieta cetogênica

No café da manhã sugerimos para esse primeiro dia omelete com algum queijo permitido + meia xícara de alguma fruta permitida, por exemplo cereja ou framboesa.

Para o lanche da manhã, iogurte natural sem açúcar e um punhado de nozes.

No almoço a sugestão é 2 filés de carne acompanhado com aspargos e cebola salteada no azeite de oliva.

No lanche da tarde, 6 morangos cortados em pedaços com creme de leite.

Para facilitar e tornar mais prático, repita no jantar a mesma sugestão do almoço.

Segundo dia

No café da manhã, café sem açúcar e peito de peru com metade de um abacate.

Para o lanche da manhã, alguma fruta permitida e gelatina sem açúcar.

O cardápio para dieta cetogênica no almoço do segundo dia pode ser salmão grelhado ou o peixe permitido de sua preferência, salada de rúcula e 1 colher de sopa de azeite de oliva para temperar.

No lanche da tarde, 1 fatia de mussarela com presunto ou peito de peru e 1 iogurte natural com 1 colher de chá de semente de chia.

Repita a mesma sugestão do almoço no jantar.

Terceiro dia

Café da manhã, omelete de presunto com azeite e um copo de leite de amêndoas.

No lanche da manhã, 1 punhado de castanhas com metade de um abacate.

Para o almoço, Strogonoff de frango com salada de couve flor regada com azeite de oliva e cebola em rodelas.

Lanche da tarde, vitamina com frutas permitidas.

No jantar, siga mantendo a mesma sugestão do almoço.

Quarto dia da dieta cetogênica

No café da manhã, vitamina de cereja com leite de coco ou leite de amêndoas e metade de um abacate com peito de peru.

Lanche da manhã, iogurte natural sem açúcar mais uma porção de castanhas.

Almoço, atum ou o peixe de sua preferência, salada com mix de folhas, por exemplo alface, rúcula e agrião, 1 colher de sopa de azeite para temperar.

Lanche da tarde, 2 fatias de queijo mussarela ou o queijo permitido de sua preferência, 1 xícara de chá verde e meia xícara de framboesa.

No jantar, repita a refeição do almoço.

Quinto dia do cardápio da dieta cetogênica para emagrecer

Café da manhã, ovos mexidos com tomates, o suficiente para saciar a fome e café sem açúcar, preto ou com leite permitido.

No lanche da manhã, 1 colher de creme de amendoim e vitamina de morango.

No almoço, hambúrguer caseiro com queijo cheddar ou o queijo permitido de sua preferência, com brócolis e espinafre no vapor, tempere com limão e alho refogado no azeite.

Lanche da tarde, vitamina de abacate com leite permitido.

Jantar, a mesma opção do almoço.

Sexto dia

Café da manhã, iogurte natural sem açúcar com mix de sementes, por exemplo chia e girassol + meia xícara de morango ou a fruta permitida de sua preferência.

Lanche da manhã, mix de frutas secas e um copo de suco de morango.

Almoço, filé de frango com couve e mussarela gratinados.

Lanche da tarde, vitamina de leite de coco com amêndoas e ovos mexidos com peito de peru.

Jantar, repita a opção do almoço.

Sétimo dia

Café da manhã, omelete com queijo, azeitonas e presunto + café sem açúcar.

No lanche da manhã, suco de frutas permitidas e presunto com queijo.

Almoço, Strogonoff de carne, com mix de folhas e azeite de oliva e limão para temperar.

No lanche da tarde, vitamina de leite de coco com morango e castanhas.

Para o jantar repita a mesma refeição do almoço.

Veja muito mais no livro: Dieta Cetogênica Estratégica – transforme gordura em energia

Conclusão

 

Esse artigo teve como intuito compartilhar um cardápio para dieta cetogênica.

Lembrando que essa é só uma sugestão e você pode usar de inspiração para adaptar como preferir.

O post Cardápio para dieta cetogênica apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Benefícios da dieta cetogênica

Vascular.pro - sex, 06/03/2022 - 11:21

Essa dieta ajuda a emagrecer, mas, você conhece os outros benefícios da dieta cetogênica?

Quando se fala em perder peso, a dieta cetogênica está entre as dietas mais procuradas e indicadas.

No entanto, a dieta cetogênica proporciona muito mais benefícios que a perda de peso.

Confira abaixo quais são os benefícios dessa dieta.

Benefícios da dieta cetogênica

A dieta cetogênica consiste em reduzir o consumo de carboidratos a quase nada e aumentar o consumo de gorduras boas e proteínas.

Como resultado, a gordura passa a ser a principal fonte de energia do corpo, o que leva a perda de peso.

No entanto, esse é só um benefício, confira abaixo mais benefícios da dieta cetogênica.

  • Auxilia na perda de gordura abdominal

Não é só na perda de gordura corporal que essa dieta atua, além disso, vai proporcionar também perda de gordura abdominal.

Se feita da maneira correta, em pouco tempo você vai ver esse benefício da dieta cetogênica.

  • Diminui os níveis de triglicerídeos

Níveis elevados de triglicerídeos podem aumentar o risco de AVC, doenças crônicas e ataque cardíaco.

Portanto, é totalmente benéfico a diminuição dos triglicerídeos, já que diminui também o risco de doenças ligadas aos níveis altos de triglicerídeos.

  • Controla o açúcar no sangue

A dieta cetogênica tem a capacidade de diminuir a necessidade de insulina, como resultado controla o açúcar no sangue.

  • Aumenta o colesterol bom

O colesterol bom ou HDL ajuda a transportar colesterol da corrente sanguínea para o fígado, onde é quebrado e descartado.

Ou seja, ajuda a evitar o colesterol ruim que faz mal à saúde.

  • Controla a pressão arterial

Como a dieta cetogênica reduz os picos de açúcar no sangue, acaba contribuindo para diminuir a resistência à insulina.

Como resultado, baixa a pressão arterial.

Além disso, reduz riscos de diversos tipos de acidentes vasculares que a pressão alta contribui para acontecer.

  • Ajuda em transtornos neurológicos

Além de ajudar a diminuir episódios de epilepsia, contribui para combater a neuroinflamação, ou seja, ajuda a reduzir incidências de doença de Parkinson e o Alzheimer ou qualquer doença neurodegenerativa.

  • Controla o apetite

Se seu medo de fazer dieta é aquela sensação de fome que a maioria das dietas provocam, então não precisa se preocupar.

Na dieta cetogênica essa sensação de fome não existe, muito pelo contrário, o que existe é a sensação de saciedade.

Como resultado, controla o apetite.

Isso ocorre porque a gordura boa presente na dieta cetogênica dá uma boa sensação de saciedade.

  • Altera a estrutura do LDL

A dieta cetogênica ajuda a aumentar o tamanho das partículas de LDL, impedindo que mais delas passem a circular na corrente sanguínea e se alojem nas paredes das suas artérias em caso de inflamações na parede arterial.

Os sintomas da síndrome metabólica são um sinal de doenças como diabetes, doenças cardíacas ou neurodegenerativas.

Ou seja, todos esses sintomas podem ser melhorados graças a dieta cetogênica.

Leia o Livro: Dieta Cetogênica Estratégica

 

Outros benefícios

Além de todos os benefícios para a saúde citados anteriormente, a dieta cetogênica proporciona bem estar, mais disposição, aumenta a energia e preserva a massa magra corporal.

Sem contar que o emagrecimento acontece de forma mais rápida quando comparada a outras dietas.

Conclusão

Esse artigo teve como objetivo compartilhar informações sobre os benefícios da dieta cetogênica.

A maioria das pessoas já conhecem ou ouviram falar que a dieta cetogênica proporciona perda de peso.

No entanto, desconhecem que a perda de peso ocorre mais rápido e os seus inúmeros benefícios para a saúde.

Portanto, se você achava que a dieta cetogênica só é boa porque emagrece, agora sabe que os benefícios vão muito além de só emagrecimento.

O post Benefícios da dieta cetogênica apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Celulite: como tratar?

Vascular.pro - qui, 06/02/2022 - 09:05

A celulite, condição caracterizada pelo acúmulo de gordura, água e toxinas embaixo da pele, afeta a estética e a autoestima de milhares de pessoas. De acordo com a SBDFL (Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional Fluminense), o problema afeta cerca de 95% da população feminina e é um dos principais motivos para a realização de procedimentos estéticos no país.

Cientificamente conhecida como lipodistrofia ginoide, a condição causa um aspecto ondulado na pele, semelhante a uma casca de laranja. E embora seja mais comum em pessoas brancas, a celulite também acomete todas as outras etnias. Contudo, apenas raramente afeta os homens.

A celulite não é considerada uma doença, mas dependendo do estágio, pode comprometer a circulação sanguínea. Saiba como evitar e tratar o problema neste artigo. É importante lembrar que muitas vezes não é celulite, e sim o lipedema. O lipedema é uma doença crônica que ocorre na maioria das vezes em mulheres, com deposição de gordura em membros, e com características inflamatórias. Se quiser descobrir se tem lipedema responda o questionário de auto avaliação.

Afinal, o que causa a celulite?

 

Vários fatores podem desencadear a celulite, a saber:

  • Má alimentação;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Predisposição genética,
  • Alterações hormonais;
  • Estresse;
  • Sexo (prevalente em pessosas do sexo feminino);
  • Biotipo físico;
  • Metabolismo lento;
  • Problemas circulatórios;
  • Cor da pele (mais comum em pessoas de pele branca).

Na mulher, a celulite é mais comum em regiões como braços, bumbum e coxas, enquanto nos homens geralmente se instala no abdômen.

 

Por que a celulite afeta mais mulheres do que homens?

 

A resposta para essa pergunta é simples: hormônios. O estrogênio, um dos hormônios femininos que regulam o ciclo menstrual, contribui para o acúmulo de líquidos e toxinas nas células de gordura, tornando-as maiores. Isso, por sua vez, altera as outras estruturas ao redor, deixando a pele irregular e cheia de furinhos.

O lipedema ocorre em 12% da população feminina no Brasil, segundo pesquisa científica realizada pelo Dr Alexandre Amato, e é, com certeza, o diagnóstico diferencial mais frequente da celulite. São 8,8 milhões de mulheres com sintomas que sugerem o lipedema.

Além dos níveis de estrogênio, pílulas anticoncepcionais também podem contribuir para o aparecimento da celulite. A gravidez e a menstruação, que causam aumento de peso e variações hormonais bruscas, também são fatores de risco para o surgimento do problema.

Diferentemente das mulheres, homens possuem tecido conjuntivo mais forte e resistente, o que dificulta o acúmulo de líquidos entre as células. Vale a pena ainda lembrar que pessoas do sexo masculino também não sofrem com muitas variações hormonais. Por isso, são menos suscetíveis aos furinhos indesejados. 

Mas isso não quer dizer que homens não tenham celulite. Homens produzem testosterona, hormônio que encaminha a gordura do corpo para o abdômen. Por isso, o acúmulo de gordura nos homens pode até ser mais raro e menos visível, mas ele existe.

 

Tipos de celulite

 

A celulite é dividida em níveis, de acordo com as características que apresentam:

  • Grau 1: não causa deformidades aparentes na pele. O acúmulo de gordura só é percebido ao apertar a pele;
  • Grau 2: ondulações e irregularidades já aparecem sob a pele, mas ainda de forma sutil;
  • Grau 3: os nódulos da celulite se tornam bem visíveis e quando a pele é comprimida causam desconforto;
  • Grau 4: a região fica endurecida, dolorida, inchada e pode inclusive comprometer a circulação sanguínea. É o famoso aspecto de casca de laranja.
  • Celulite infecciosa 
    • Erisipela: Trata-se de uma infecção cutânea causada geralmente pela bactéria Streptococcus. Ela e outras linfangites (inflamações de um ou mais vasos linfáticos) são doenças circulatórias que têm quadros clínicos semelhantes, com febre alta, vermelhidão e inchaço da perna, e podem ter em comum a mesma forma de contágio, a partir de uma lesão ou ferimento na pele.

 

Como prevenir a celulite?

 

Tirando o fator predisposição genética e variação hormonal, a celulite é uma condição que está comumente associada a um estilo de vida pouco saudável. Nesse sentido, algumas atitudes podem contribuir para que você tenha uma pele mais lisa, uniforme e saudável:

  • Adotar uma alimentação equilibrada, priorizando o consumo de alimentos naturais ricos em fibras e proteínas;
  • Manter uma boa ingestão hídrica (beber bastante água diariamente);
  • Não fumar;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas em excesso;
  • Evitar o consumo em excesso de açúcar refinado e de sal;
  • Manter o peso ideal;
  • Praticar atividades físicas regularmente.
Celulite tem cura? Como tratar?

 

Infelizmente celulite não tem cura, mas tem tratamento. Dependendo do grau da lipodistrofia ginoide, é totalmente possível amenizar consideravelmente as ondulações na pele e conviver com o problema sem maiores transtornos estéticos. Atualmente, vários tratamentos estéticos produzem bons resultados a curto e médio prazos.

É primordial que seja feito o diagnóstico diferencial do lipedema para o tratamento correto. Alguns tratamentos de celulite podem piorar o lipedema.

Mas isso, é claro, se houver uma mudança no estilo de vida, principalmente no que diz respeito aos hábitos alimentares. Uma alimentação equilibrada combinada com a prática regular de exercícios físicos ajuda a reduzir a gordura corporal, melhorando a firmeza da pele. Quando associados ao tratamento estético adequado, esses bons hábitos podem reduzir até 90% das celulites.

Confira a seguir os principais tratamentos estéticos que melhoram o quadro de celulite:

 

Radiofrequência

 

Tratamento não invasivo, consiste no uso da radiação eletromagnética para aumentar a temperatura local e quebrar as células de gordura. A radiofrequência também estimula a produção de colágeno e melhora a flacidez da pele. O tratamento é indicado para todos os tipos de celulites.

 

Ultrassom estético

 

Outro tratamento não invasivo que ameniza os sintomas da celulite é o ultrassom estético. O aparelho emite ondas sonoras inaudíveis pelo ser humano, mas capazes de agitar as moléculas das células de gordura. Essas vibrações aumentam a energia no interior das moléculas de gordura, fazendo com que elas se rompam e o conteúdo delas seja drenado pelo sistema linfático.

 

Eletrolipólise

 

Mais uma técnica para tratar acúmulo de gordura sob a pele, só que dessa vez minimamente invasiva. Ela consiste em aplicar corrente elétrica de baixa frequência no local, por meio de agulhas de acupuntura para provocar modificações fisiológicas nos adipócitos, as células que armazenam gordura. Pode piorar o lipedema.

 

Criolipólise

 

Diferentemente da radiofrequência, que usa calor intenso para destruir as células de gordura, a criolipólise usa baixas temperaturas para atingir essa finalidade. Na prática, o aparelho congela as células de gordura, as destrói e faz com que o organismo se encarregue de expeli-las. Pode piorar o lipedema.

 

Injeção de enzimas e bioestimuladores de colágeno

 

Nessa técnica, são aplicadas no local do acúmulo de gordura injeções com substâncias termogênicas que dispersam a gordura, melhoram a circulação local, diminuem a retenção de líquidos e melhoram o aspecto ondulado da pele.

E como uma das causas da celulite é a flacidez na pele, injeções de substâncias que estimulam a produção de colágeno na região também são bem-vindas. Nesse caso, as substâncias mais utilizadas são o ácido hialurônico, o ácido poliláctico e a hidroxiapatita de cálcio. Ambas tornam a pele mais firme e impedem o acúmulo de gordura entre os tecidos. Pode piorar o lipedema.

 

Celulite exige tratamento e acompanhamento multidisciplinar

 

Conforme pontuamos neste artigo, a lipodistrofia ginoide pode ser causada por vários fatores e o seu tratamento depende da combinação de procedimentos estéticos com uma mudança radical no estilo de vida. É preciso adotar uma alimentação equilibrada, beber bastante água, não fumar, não beber em excesso, manter o peso ideal, entre outras recomendações importantes.

Nesse contexto, fica claro perceber que a celulite exige, na verdade, um diagnóstico correto antes de tudo, seguido de um tratamento médico multidisciplinar. Além do diagnóstico e tratamento prescrito por um médico vascular, é preciso ainda fazer o acompanhamento com um ginecologista para ajustar os hormônios femininos, um dermatologista para ajudar no tratamento da pele, um nutricionista para ajustar a alimentação, endocrinologista para demais hormônios entre outras especialidades para tratar de diferentes aspectos da sua saúde ao mesmo tempo.

A boa notícia é que no Instituto Amato você conta com essas e várias outras especialidades médicas para tratar a sua saúde e a da sua família. Entre em contato conosco, agende a sua consulta com um de nossos dermatologistas e livre-se dos incômodos causados pela celulite!

Dr. Alexandre Amato

O post Celulite: como tratar? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Barriga inchada: o que pode ser?

Vascular.pro - qua, 05/25/2022 - 08:43

Também chamada de distensão abdominal, a barriga inchada causa incômodos que vão muito além do prejuízo estético. Além de marcar a roupa e arruinar qualquer figurino, a condição também pode significar problemas de saúde. Portanto, ao começarem os sintomas, um médico deverá ser consultado para avaliar as causas e indicar o tratamento adequado.

O que é barriga inchada?

 

Em princípio, barriga inchada é o nome popular da distensão abdominal, um sintoma que deixa o abdômen com o tamanho visivelmente aumentado. Além do inchaço, o quadro também causa sensação de empanzinamento, desconforto e, em casos mais graves, pode prejudicar a realização de várias atividades rotineiras.

 

O inchaço abdominal é mais comum do que se imagina e atinge aproximadamente 30% da população adulta. A condição pode ser ou não acompanhada de dor e acometer todo o abdômen ou apenas parte dele. Além disso, o inchaço abdominal também pode ser do tipo duro, quando geralmente está associado a problemas gastrointestinais. Todavia, também pode ser do tipo mole, quando é causado pela retenção de líquidos. 

Em ambos os casos, é preciso prestar atenção caso esses sintomas perdurem por vários dias. Apesar de ser um problema comum, ele pode indicar outros problemas de saúde e podem ser ou não associados a outros sintomas como sangramentos e enjoos, por exemplo.

 

O que causa barriga inchada?

 

A distensão abdominal é um problema muito comum e geralmente está associado à má digestão, acúmulo de gases e retenção de líquidos. Todavia, o estufamento abdominal também pode ser causado por outros fatores, tais como:

 

  • Prisão de ventre;
  • Menstruação (período pré-menstrual);
  • Síndrome do intestino irritável;
  • Obesidade;
  • Comer muito de uma só vez e/ou rápido demais;
  • Uso de alguns medicamentos;
  • Consumo de sal em excesso;
  • Intolerância à lactose ou ao glúten;
  • Câncer de útero ou de ovário;
  • Obstrução intestinal;
  • Apendicite;
  • Colite;
  • Ascite;
  • Parasitas;
  • Doença hepática;
  • Problemas renais;
  • Insuficiência pancreática.

 

Como saber qual é a hora de procurar ajuda médica?

 

Quando a barriga inchada é causada por fatores como acúmulo de gases e má digestão, o sintoma tende a desaparecer em poucos dias. Contudo, caso isso não aconteça, pode indicar alguma das doenças citadas anteriormente. Sendo assim, sempre que a distensão abdominal se apresentar recorrente e combinada com os fatores listados a seguir, um médico deverá ser procurado:

 

  • Abdômen endurecido e com piora no quadro;
  • Febre;
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Presença de sangue nas fezes ou no vômito;
  • Dor ao tocar o abdômen;
  • Não conseguir beber ou comer por longas horas;
  • Não conseguir evacuar ou urinar;
  • Dificuldade para respirar.

 

Obtendo o diagnóstico

 

O diagnóstico da barriga inchada começa com uma avaliação clínica, onde o médico escuta a queixa do paciente, faz uma análise dos sintomas e do tipo de inchaço. Para confirmar ou descartar a suspeita de alguma doença, o médico pode ainda solicitar alguns exames laboratoriais e de imagem, tais como:

 

  • Exame de fezes de urina;
  • Exame de sangue;
  • Ultrassonografia do abdômen total;
  • Tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética.

 

Como diminuir a barriga inchada?

 

O tratamento para a distensão abdominal pode variar bastante, conforme o quadro clínico do paciente, ou seja, conforme a causa do problema. Entenda adiante.

 

Má alimentação

 

Consumo de alimentos ricos em sal, pouca ingestão hídrica, excesso de bebidas alcoólicas e de alimentos que causam excesso de gases estão entre as causas mais comuns da barriga inchada. 

Nesses casos, o melhor tratamento é mudar os hábitos alimentares. Beber bastante água, comer somente o necessário e evitar alimentos que produzem gases como feijão e repolho são as principais recomendações. Deve-se ainda evitar alimentos de difícil digestão como a carne vermelha e bebidas gaseificadas.

 

Prisão de ventre

 

Outro problema que causa barriga inchada é a constipação intestinal, popularmente chamada de prisão de ventre. Ela acontece quando os movimentos peristálticos realizados pelo intestino são lentos ou irregulares, a ponto de dificultar a expulsão das fezes. A prisão de ventre pode causar cólicas abdominais, gases e desconforto.

O tratamento para a prisão de ventre geralmente é feito com uma alimentação rica em fibras e aumento da ingestão de água. Em alguns casos, o médico pode prescrever o uso de laxantes para regularizar as idas ao banheiro.

 

Intolerância ao glúten

 

O glúten é uma proteína encontrada em alguns cereais, como o trigo, a cevada, o centeio e o malte, por exemplo. Ele está presente no pão, no bolo, na pizza, no macarrão, no biscoito e, claro, na cerveja. Em pessoas comuns, ele não oferece nenhum risco. Já pessoas com alergia ao glúten e doença celíaca devem evitar o consumo desses alimentos.

 

 

Intolerância à lactose

 

Já a lactose é o açúcar do leite. A substância é a responsável pelo sabor levemente adocicado da bebida e está presente no leite animal. Quem tem intolerância à lactose também pode sofrer com barriga inchada e com outros sintomas como dor abdominal, vômitos e diarreia.

Para resolver o problema, é recomendada uma dieta restritiva. Ela consiste em retirar da alimentação todos os alimentos que contêm lactose, como leite e seus derivados. O leite sem lactose é acrescido de açúcares, portanto não é a melhor opção. Para garantir o aporte de nutrientes para o organismo, é feita a substituição de ingredientes de origem animal pelos de origem vegetal.

 

Ascite

 

A ascite, por sua vez, também é conhecida como barriga d’água. Nesse caso, o inchaço na barriga é decorrente do acúmulo de líquidos na região abdominal, causado por problemas hepáticos e renais, por exemplo. Dependendo do comprometimento do órgão doente, o tratamento pode variar da prescrição de medicamentos até intervenções cirúrgicas.

 

Síndrome do intestino irritável

 

A síndrome do intestino irritável é um distúrbio que provoca a inflamação das vilosidades intestinais, causando barriga inchada, gases, prisão de ventre ou diarreia. A condição médica não tem cura e pode ser agravada por fatores como alimentação, estresse, ansiedade e depressão.

O tratamento da síndrome do intestino irritável é feito com medicamentos antiespasmódicos e/ou antidepressivos. Para aliviar a dor, o médico também pode prescrever analgésicos.

Você anda sofrendo com barriga inchada? Neste artigo você aprendeu que a condição não significa apenas aumento de peso corporal e pode indicar vários problemas de saúde. Portanto, obter um diagnóstico preciso e precoce é a melhor forma de ter um tratamento adequado, com chances de bons resultados.

No Instituto Amato você tem ao seu dispor várias especialidades médicas para avaliar a sua distensão abdominal e oferecer um diagnóstico preciso. Além de gastroenterologista, nossa equipe também é composta por endocrinologistas, nutricionistas, geriatras entre outras especialidades, para oferecer a você e aos seus familiares um atendimento multidisciplinar de saúde. Livre do seu incômodo de uma vez por todas, clique aqui e marque a sua consulta!

Dr. Alexandre Amato

O post Barriga inchada: o que pode ser? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Risco de Diabetes

Vascular.pro - dom, 05/22/2022 - 17:39

Você corre o risco de contrair diabetes? Você pode se surpreender com algumas das coisas que te colocam em risco. Continue lendo e responda o questionário para saber mais sobre diabetes e descubra se você está correndo algum risco. Com essa informação você pode ser capaz de tomar medidas para reduzir seu risco e permanecer saudável. O diabetes pode ser uma doença muito grave, portanto é importante saber se você está correndo risco e tomar medidas para se proteger.

O diabetes é uma condição crônica que ocorre quando há excesso de açúcar no sangue. O risco de desenvolver diabetes aumenta à medida que envelhecemos, e estima-se que mais de 30 milhões de americanos têm a doença. Existem dois tipos principais de diabetes: o tipo 1 e o tipo 2. O diabetes tipo 1, também conhecido como diabetes insulino-dependente, desenvolve-se normalmente na infância ou adolescência. O diabetes tipo 2, que é a forma mais comum da doença, geralmente se desenvolve na vida adulta. Entretanto, a incidência do diabetes tipo 2 está aumentando em adultos jovens e crianças. O principal fator de risco para o diabetes do tipo 2 é a obesidade. Outros fatores de risco incluem história familiar, estilo de vida sedentário e certos grupos étnicos. Se não for tratada, a diabetes pode levar a sérias complicações de saúde, tais como doenças cardíacas, derrames, aterosclerose, doenças renais e cegueira. Portanto, é importante estar atento aos riscos e sinais do diabetes para que você possa buscar tratamento, se necessário.

O NHS Inglês fez o seguinte questionário para descobrir se você está em risco de diabetes tipo 2. O questionário não serve para quem já está  em tratamento para diabetes.

Sabia que a diabetes e a má circulação andam juntas? O Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato (www.amato.com.br) explica como que a aterosclerose aparece na diabetes e porque é tão grave.

O post Risco de Diabetes apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Síndrome metabólica: Será que eu tenho?

Vascular.pro - dom, 05/22/2022 - 16:45

O que é a síndrome metabólica, você pergunta? Infelizmente, não é um delicioso cereal matinal, mas sim uma condição potencialmente mortal que afeta milhões de pessoas a cada ano. Então, o que você pode fazer para descobrir se você a tem? Continue lendo para obter todas as informações!

O que é a síndrome metabólica?

A síndrome metabólica é um conjunto de condições que aumentam o risco de doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais e diabetes. A síndrome inclui pressão alta, alto nível de açúcar no sangue, excesso de gordura corporal ao redor da cintura, e níveis anormais de colesterol. A síndrome aumenta o risco de infarto do miocárdio e derrame. A maioria dos distúrbios associados à síndrome metabólica não apresenta sintomas. A perda de peso, o exercício, uma dieta saudável e o abandono do cigarro podem ajudar. Você também pode tomar medicamentos para baixar a pressão sanguínea ou o colesterol. Se você tem síndrome metabólica, é importante consultar seu médico regularmente para que você possa monitorar sua condição e fazer as mudanças necessárias no estilo de vida.

Como saber se tenho sindrome metabólica?

Para ser diagnosticado como portador de síndrome metabólica, você precisa responder sim em pelo menos três das seguintes categorias. Este questionário foi adaptado do consenso da Federação Internacional de Diabetes (IDF).

Porque a síndrome metabólica é importante na cirurgia vascular?

A síndrome metabólica é um conjunto de fatores de risco que também aumentam a probabilidade de desenvolver doenças cardiovasculares. Os indivíduos com síndrome metabólica correm um risco maior de aterosclerose, que é o endurecimento e estreitamento das artérias. Isto pode levar a uma série de complicações sérias, incluindo ataque cardíaco e derrame cerebral. Os cirurgiões vasculares freqüentemente tratam pacientes com aterosclerose, e muitos desses pacientes também têm síndrome metabólica associada. Por esta razão, é importante a avaliação pelo cirurgião vascular.

O post Síndrome metabólica: Será que eu tenho? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Vício em carboidratos: carbofilia.

Vascular.pro - dom, 05/22/2022 - 16:09

Se você já fez dieta, é provável que já tenha ouvido o termo “vício em carboidratos” Mas o que isso significa? E isso é realmente uma coisa? De acordo com alguns especialistas, a resposta é sim. Aqui está o que você precisa saber.

Você anseia por carboidratos? Você é viciado?

Olhe, todos nós sabemos que os carboidratos são deliciosos. Mas, às vezes, parece que não podemos deixar de nos entregar a eles – mesmo quando não estamos realmente com fome. E antes que você perceba, você está comendo muito mais do que queria e se sentindo culpado por isso mais tarde. Soa familiar? Se sim, você pode estar viciado em carboidratos. Mas não se preocupe; há muito que você pode fazer para quebrar seu vício em carboidratos e começar a se sentir melhor sobre si mesmo. Continue lendo para obter dicas sobre como começar!

Experimente este pequeno teste sobre sua relação com os carboidratos.

O que são carboidratos?

Trata-se da soma dos açúcares presentes nos alimentos, é o principal macronutriente a ser evitado na dieta cetogênica. Os carboidratos não utilizados em forma de energia são armazenados na forma de gordura.
As maiores fontes de carboidratos são alimentos como massas, grãos, pães, cereais, arroz, milho, tubérculos e doces.
Em geral, a dieta cetogênica consiste em manter-se abaixo de 20 gramas de carboidratos diários. Para fins comparativos, a dieta muito baixa em carboidratos fica abaixo de 50 gramas diárias e a dieta baixa em carboidratos (lowcarb) abaixo de 100 gramas diárias.

Qual dieta pode ajudar?

A dieta cetogênica é aquela que diminui drasticamente a quantidade de carboidratos ingeridos e pode ajudar no tratamento do vício pelo carboidrato.

 

 

O post Vício em carboidratos: carbofilia. apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

A Dieta Cetogênica é para você?

Vascular.pro - dom, 05/22/2022 - 14:49

Você provavelmente já ouviu falar sobre a dieta cetogênica uma, duas ou 100 vezes até agora. Esta dieta ganhou popularidade por seus resultados rápidos de perda de peso. Mas essa dieta rica em gordura e baixa em carboidratos não é para todos. Faça este teste para ver se a cetogênica é ou não a dieta para você.

 

O post A Dieta Cetogênica é para você? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Inchaço: o que pode ser?

Vascular.pro - sex, 05/20/2022 - 07:24

Você convive diariamente com o inchaço? Pois saiba que mais do que denunciar uma alimentação rica em sódio, a condição também pode ser sinal de doenças cardiovasculares, hepáticas ou renais. Por isso, ao notar o aumento de volume em apenas um dos membros ou no corpo todo, é preciso buscar ajuda médica para obter um diagnóstico precoce e tratamento adequado. 

Mas afinal, o que é inchaço? Quais são as causas do problema? Como tratar? A resposta para essas e outras perguntas você confere no artigo a seguir. Acompanhe.

O que é inchaço?

 

Inchaço é o nome dado à retenção de líquidos no corpo, condição caracterizada principalmente pelo acúmulo de água nos tecidos. O edema, como também é chamado, pode acontecer em um dos membros apenas ou parte dele, em dois ou mais membros ou até mesmo no corpo todo.

A condição pode piorar no calor, já que as altas temperaturas ambientes provocam vasodilatação, comprometendo a circulação sanguínea. Mulheres em período pré-menstrual também tendem a sofrer com o problema por questões hormonais.

 

Principais causas do inchaço

 

Será que além dessas das causas citadas anteriormente existem outras explicações para o surgimento de edemas? A medicina garante que sim, principalmente se ele for recorrente. Entenda.

 

Insuficiência venosa crônica

 

A insuficiência venosa crônica é uma doença caracterizada pela má circulação sanguínea nos membros inferiores. A condição provoca varizes, dores nas pernas, inchaço e em casos mais graves, dermatite ocre e úlcera varicosa.

 

 

Lipedema

 

O Lipedema é a doença onde ocorre deposição de gordura nas pernas. A sensação de inchaço acompanha frequentemente o lipedema. Você sabe o que é o lipedema?

 

Problemas na tireóide

 

O mau funcionamento da tireóide, glândula que regula o metabolismo do corpo, também pode causar inchaço. No caso do hipotireoidismo, o metabolismo fica mais lento, o que propicia o acúmulo de água e sódio nos tecidos.

 

Má alimentação também causa inchaço

 

Alimentos industrializados são ricos em sódio e demais aditivos químicos nocivos à saúde. O excesso de sal presente nesses alimentos sobrecarrega os rins, que precisam de mais água para filtrar o sangue.

 

Trombose venosa profunda

 

A trombose venosa profunda (TVP) é uma doença caracterizada pela formação e acúmulo de coágulos de sangue nas veias dos membros inferiores (as pernas). A condição bloqueia o retorno sanguíneo ao coração, causando inchaço e dores nas pernas. Em alguns casos, há um deslocamento do coágulo para as artérias do pulmão, o que causa embolia pulmonar.

 

Problemas renais causam inchaço ao redor dos olhos, nos tornozelos e nos pés

 

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 10 milhões de pessoas sofrem com insuficiência renal no Brasil e entre essas, mais de 90 mil fazem hemodiálise. A doença crônica é caracterizada pela perda da função renal, que é a de filtrar o sangue e fazer com que substâncias nocivas com ácido úrico, ureia e amônia sejam expelidas do corpo através da urina.

 

Mas é claro que os rins não param de uma hora para outra. Até o comprometimento total dos órgãos, a insuficiência renal se manifesta através de sintomas como alteração na cor da urina, aumento da pressão arterial, dor lombar e edemas nos membros inferiores e ao redor dos olhos.

 

Insuficiência hepática

 

Assim como acontece com os rins, a perda das funções do fígado também causa inchaço. Só que nesse caso, o edema fica localizado na altura do abdômen.

 

Ficar muito tempo sentado

 

Quem passa muitas horas por dia sentado tende a ter problemas circulatórios e consequentemente edemas nos membros inferiores. Isso porque a posição relaxa a musculatura da panturrilha e dificulta o retorno do sangue localizado nas pernas para o coração.

 

Artrite causa inchaço em diferentes regiões do corpo

 

A artrite, doença reumática caracterizada pela inflamação das articulações, também é uma das causas de inchaço para se prestar atenção. Geralmente a doença provoca edemas nos joelhos, cotovelos, quadril, tornozelos, juntas das mãos e outras partes do corpo que possuem articulações. A doença também causa dor, vermelhidão local e rigidez muscular.

 

Gravidez

 

Já a gravidez causa inchaço principalmente nas pernas da gestante, mas também pode se estender para os braços e até mesmo para o corpo todo. Isso acontece porque durante a gestação há a redução de fluxo sanguíneo nas veias, o que ajuda a reter líquidos. Além disso, o próprio peso do corpo acaba dificultando a circulação sanguínea nos membros inferiores.

 

Como melhorar o inchaço?

 

Para melhorar o inchaço e aliviar os seus sintomas, que incluem sensação de peso, assimetria estética e aumento de peso corporal, o primeiro passo é consultar um médico, como clínico geral, cardiologista ou um angiologista. Somente a avaliação de um profissional de saúde especializado poderá indicar o tratamento adequado para o seu caso. 

 

Todavia, as recomendações mais comuns de especialistas para reduzir os edemas são:

 

  • Adotar uma alimentação mais natural, com menos produtos industrializados e processados;
  • Beber bastante água por dia (pelo menos dois litros);
  • Evitar roupas e calçados apertados;
  • Deitar-se com as pernas acima do nível do corpo (para o caso de edemas nas pernas);
  • Drenagem linfática, técnica de massagem que ajuda a eliminar o excesso de líquidos do corpo;
  • Medicamentos anticoagulantes para pacientes com trombose venosa profunda;
  • Diuréticos somente com prescrição médica e para algumas causas bem específicas;
  • Meias de compressão para melhorar a circulação sanguínea em pessoas com varizes;
  • Caminhadas para estimular a circulação sanguínea.

 

Para casos em que o edema é provocado por varizes, o médico pode ainda recomendar alguns procedimentos minimamente invasivos para tratar as causas do problema, como cirurgia de varizes e escleroterapia (aplicação de vasinhos).

 

Instituto Amato: diagnóstico preciso para inchaço com equipe de saúde multidisciplinar

 

Como você pode perceber, várias doenças podem causar inchaço em diferentes regiões do corpo. Nesse sentido, é preciso buscar uma equipe multidisciplinar de saúde para investigar as causas, chegar a um diagnóstico preciso e indicar o tratamento adequado.

 

No Instituto Amato você encontra endocrinologistas, angiologistas, cardiologistas, gastroenterologistas, nutricionistas e várias outras especialidades médicas para cuidar de todos os aspectos da sua saúde em um só lugar. Atuamos nos melhores hospitais de São Paulo e contamos com o Hospital Dia para procedimentos cirúrgicos simples e internação por um período de até 12 horas.

 

Entre em contato conosco e agende já a sua consulta.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Inchaço: o que pode ser? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Quercetina: para que serve e quais seus benefícios

Vascular.pro - ter, 05/10/2022 - 11:22

A quercetina, flavonoide encontrado em várias frutas e vegetais, é uma substância importantíssima para o bom funcionamento do nosso organismo. Rica em antioxidantes, a substância neutraliza a ação dos radicais livres, previne doenças cardíacas, neurodegenerativas e até câncer.

Apesar de tamanha importância, a quercetina ainda é pouco conhecida pelo público. Por isso, nós, do Instituto Amato, fizemos este artigo para explicar sobre essa substância, como ela interage com o organismo e quais benefícios ela oferece para a sua qualidade de vida. Acompanhe!

Para que serve a quercetina?

Conforme pontuamos anteriormente, a quercetina é uma substância natural, encontrada em frutas e vegetais. Ela pertence à classe dos flavonoides, substâncias responsáveis pela pigmentação, textura e sabor desses alimentos. Graças às suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, a quercetina promove diversos benefícios à saúde, tais como:

  • Combate os radicais livres, prevenindo o envelhecimento e o surgimento de doenças crônicas;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Ajuda a evitar alergias respiratórias e alimentares;
  • Previne e controla o diabetes e a hipertensão;
  • Protege os rins;
  • Melhora a capacidade ocular (cataratas e problemas de visão em diabéticos);
  • Previne vários tipos de cânceres;
  • Oferece mais disposição e resistência física;
  • Tem ação antitrombótica e vasodilatadora e por isso evita várias doenças cardiovasculares como infarto e AVC.

Entre todos os benefícios da quercetina, a ação antitrombótica e vasodilatadora da substância se destaca. Ela tem sido estudada para melhorar a circulação sanguínea e evitar condições como varizes, dermatite ocre e úlcera varicosa, doenças venosas que comprometem seriamente a qualidade de vida das pessoas.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), as Varizes atingem quase 40% da população brasileira. Com relação à Trombose Venosa Profunda, são diagnosticados 60 novos casos da doença para cada 100 mil habitantes anualmente. E quando o assunto é Aterosclerose, os dados são ainda mais alarmantes: a entidade revela que 4% dos brasileiros sofrem com a doença, cuja prevalência aumenta significativamente com a idade e atinge mais de 14% de idosos com mais de 70 anos.

Nesse sentido, fica fácil perceber que a quercetina é uma grande aliada para evitar doenças venosas, cardiovasculares entre vários outros tipos de enfermidades. Contudo, seu uso deve ser prescrito por um médico especializado.

Alimentos ricos em quercetina

A quercetina está presente em muitos vegetais e frutas que consumimos no dia a dia. Dessa forma, entre os alimentos mais ricos em quercetina, podemos citar:

  • Alcaparras;
  • Pimentão amarelo e verde;
  • Cebola roxa;
  • Uva vermelha;
  • Brócolis;
  • Limão;
  • Maçã (com casca);
  • Repolho.

Assim, como essa substância é uma das responsáveis pela pigmentação dos vegetais e frutas, geralmente os alimentos mais “coloridos” contam com alto teor dela. Assim além dos alimentos citados aqui, podemos acrescentar, de forma geral, as frutas cítricas e vermelhas, por exemplo. 

Entre os alimentos com maior índice de quercetina e mais utilizados no nosso dia a dia, está a cebola. Segundo especialistas em alimentação, a planta ajuda a fortalecer o sistema imunológico, combate vírus, fungos, bactérias e ainda oferece os benefícios descritos acima. Ou seja, a cebola não é apenas um ótimo tempero, mas um alimento que contribui para o bom funcionamento de todo o organismo.

 

Dosagem diária recomendada 

Para o consumo diário de alimentos ricos em quercetina, não há uma orientação específica. Até porque parte desse antioxidante pode se perder durante o preparo do alimento. Além do mais, em uma dieta equilibrada, não há risco do consumo em excesso dele. Outro ponto importante é que o organismo não absorve toda a quercetina do alimento. 

Por isso, a principal dica é seguir uma dieta balanceada e, de preferência, com a supervisão de um nutricionista. Especialmente se você já tem algum problema de saúde crônico, caso em que a recomendação se torna ainda mais relevante. 

Além de estar disponível em vários alimentos, a quercetina também pode ser encontrada na forma de suplementos alimentares. Alguns, inclusive, são associados a outras substâncias, que ajudam no sistema autoimune e na própria absorção do antioxidante. 

No caso dos suplementos, a dosagem recomendada pela maioria dos fabricantes é de, no máximo, 500 mg até 3 vezes ao dia. Mas como essa dosagem pode variar conforme as necessidades de cada pessoa, o indicado é buscar orientação de um médico ou nutricionista antes de iniciar o consumo do produto.

Outros benefícios da quercetina

Diante de tudo o que foi falado até agora sobre a quercetina, existem outros benefícios que ela traz para o organismo: 

  • De forma geral, combate o envelhecimento, fazendo uma espécie de “filtragem” e eliminando as células mais envelhecidas; 
  • Estudos revelam que a quercetina é um nutracêutico eficaz para ajudar na recuperação da Covid-19;
  • Além de ajudar a prevenir o diabetes e controlar os níveis de glicose no sangue, a substância também diminui as complicações dessa grave doença;
  • Como possui ação anti-inflamatória, também é uma importante aliada contra doenças como artrite reumatoide;
  • E, por fortalecer o sistema imunológico, a quercetina previne contra resfriados e outras doenças respiratórias;
  • A quercetina também oferece mais resistência capilar;
  • Por fim, previne o surgimento de vários tipos de cânceres, mas isso, claro, aliado a uma boa alimentação e hábitos saudáveis.  
Contraindicações

Na forma in natura, a quercetina oferece poucos riscos à saúde. Já o consumo de suplementos alimentares compostos pela substância pode não ser indicado para os seguintes grupos de pessoas:

  • Gestantes e lactantes;
  • Alérgicos a algum dos componentes presentes no produto.

Ficou interessado pelos benefícios da quercetina e quer saber se a substância é indicada para o seu caso? Então entre em contato com o Instituto Amato e marque a sua consulta médica. Temos uma equipe de saúde multidisciplinar composta por nutricionistas, cardiologistas, angiologistas, cirurgiões vasculares e várias outras especialidades para oferecer um diagnóstico preciso e tratamento humanizado para promover saúde, bem-estar e qualidade de vida, tanto para você como para a sua família.

Estamos há quase 40 anos no mercado cuidando da saúde das famílias com dedicação, respeito e principalmente competência. Além das consultas médicas, fazemos procedimentos minimamente invasivos, como cirurgias de hérnias, de varizes entre outras. Além disso, oferecemos os melhores tratamentos para infertilidade da atualidade. Clique aqui e agende a sua consulta.

 

O post Quercetina: para que serve e quais seus benefícios apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Quando usar meia de compressão?

Vascular.pro - seg, 05/09/2022 - 10:33

A meia de compressão é um dispositivo que facilita o retorno venoso das pernas para o coração, sendo recomendada para todos aqueles que sofrem com doenças e insuficiências venosas crônicas como varizes, trombose e úlceras venosas. Ela melhora a circulação sanguínea, alivia as dores nas pernas, reduz o inchaço e evita o surgimento de novas varizes.

Apesar de fazer parte da terapia compressiva, tratamento não invasivo para doenças venosas e linfáticas, é preciso ter cautela no uso da meia de compressão. Isso porque o dispositivo pode oferecer diferentes níveis de compressão, tamanhos e tipos. E para saber qual é a meia mais indicada para cada caso, um médico angiologista deverá ser consultado.

Além da recomendação médica com um especialista, outros fatores devem ser levados em consideração na hora de usar meia de compressão, conforme destacamos no artigo a seguir. Acompanhe.

Como funciona a meia de compressão?

Para entender como funciona a meia de compressão, é preciso primeiramente compreender como funciona a circulação sanguínea. O processo se inicia com o coração bombeando sangue para órgãos e membros do corpo humano através das artérias. E quando falamos em órgãos, estamos falando de membros superiores e inferiores.

Quando o sangue chega até esses órgãos e membros, ele precisa voltar ao coração para que seja novamente oxigenado e posteriormente bombeado de volta para todo o corpo. Contudo, quando lidamos com membros inferiores, estamos lidando também com um obstáculo: a força da gravidade. 

No caso das pernas, o retorno venoso é feito através da compressão muscular da panturrilha, mais conhecida como batata da perna. A panturrilha funciona como uma espécie de bomba, que impulsiona o sangue das pernas de volta para o coração.

E quando esse retorno não acontece de forma regular? Nesse caso, há o acúmulo de sangue nas veias e isso pode deixá-las inchadas e deformadas, causando o surgimento de varizes. Se não tratadas precocemente, inclusive, podem provocar outras doenças  venosas, como trombose, dermatite ocre e úlceras varicosas.

E justamente para evitar que esses problemas aconteçam é que entra em ação a meia de compressão. Ela comprime a região inferior das pernas e promove o retorno do sangue ao coração. 

 

Para quais casos a meia de compressão é indicada?

A meia de compressão é um dispositivo muito útil e indicado para os seguintes casos:

  • Pessoas que já tenham vasinhos e varizes nas pernas ou com histórico de doenças venosas na família;
  • Indivíduos que passam muito tempo em pé ou sentados, pois ambas as posições dificultam o retorno do sangue das pernas para o coração;
  • Gestantes, já que o sobrepeso pode provocar má circulação sanguínea e varizes;
  • Pacientes trombofílicos;
  • Pessoas que vão realizar viagens de avião com duração superior a 8 horas;
  • Praticantes de atividades físicas cujas atividades exijam maior esforço dos membros inferiores;
  • Pacientes que tenham se submetido a cirurgias em que o pós-operatório determine repouso absoluto;
  • Obesos e sedentários;
  • Portadoras de lipedema, a doença das pernas grossas;
  • Idosos, pois a circulação sanguínea costuma ser mais lenta para esse grupo de pessoas.

 

Vale salientar que a meia de compressão também pode ser usada por pessoas que não se enquadram nas situações acima, mas que sofrem constantemente com sensação de peso nas pernas, pernas inchadas e doloridas.

Isso porque embora seja classificada como uma terapia, a meia de compressão também pode prevenir doenças venosas. E, como já explicamos em outra oportunidade, a dor na panturrilha pode ser um indício de problemas vasculares. Leia o artigo na íntegra e saiba mais a respeito.

Quem não deve usar meia de compressão?

Apesar de garantir mais saúde e qualidade de vida a pacientes com problemas circulatórios, a meia de compressão não deve ser usada nos seguintes casos:

  • Insuficiência cardíaca congestiva e não controlada;
  • Isquemia; 
  • Flebite séptica;
  • Edema hepático;
  • Alergia aos materiais de fabricação da meia;
  • Dermatite úmida;
  • Eczemas e úlceras nas pernas (existem meias especiais para esses casos);
  • Fibromialgia reumática;
  • Edema renal.
Tipos de meias de compressão

Conforme mencionamos anteriormente, a meia de compressão pode ser classificada de acordo com o seu tipo ou com o nível de compressão que oferece. Quanto ao tipo, ela pode ser:

  • Meias ¾, até a altura dos joelhos;
  • Meia de compressão do tipo meia coxa (⅞) ou meia calça.

Já com relação aos níveis de compressão, a meia pode ser classificada como:

  • Suave compressão, esportivas ou preventivas: nível de compressão inferior a  20mmHg. Nesse caso, a meia de compressão pode ser utilizada por qualquer pessoa;
  • Média compressão: entre 20mmHg e 30mmHg. Indicada para quem já apresenta doenças venosas como varizes, edemas, dermatite ocre e úlceras venosas;
  • Alta compressão: acima de 40mmHg. Indicada para uso pós-cirúrgico e para pessoas com problemas de circulação sanguínea mais graves, como trombose e edemas pós-traumáticos.

A partir da média compressão, a meia deve ser prescrita por um médico especializado. 

Como usar

Na maioria dos casos, a meia de compressão é colocada de manhã, quando o paciente acorda, e é retirada antes de dormir. Na prática, a meia é usada por um período que varia entre 8 e 12 horas por dia. 

Cabe ressaltar, no entanto, que a meia não precisa ser utilizada durante o sono. Isso porque durante esse período, a perna já esta para cima, não havendo efeito da gravidade.

Terapia compressiva após o tratamento das varizes

Para obter melhores resultados com a terapia compressiva, o ideal é que a má circulação sanguínea seja tratada, ou seja, a causa do problema. Nesse sentido, a meia compressiva tem sido aplicada como um recurso pós-operatório muito eficaz. Quando utilizada após a realização de procedimentos, como cirurgia de varizes com laser, escleroterapia, entre outros, a meia oferece os seguintes benefícios:

  • Prevenir trombose;
  • Evitar embolia pulmonar;
  • Reduzir os riscos de inflamação e pigmentação na pele;
  • Potencializar a ação do esclerosante.

Você sofre com doenças venosas, quer adotar o uso da meia de compressão, mas não sabe se ela é ideal para o seu caso? O Instituto Amato possui uma equipe médica composta por angiologistas, cardiologistas e cirurgiões vasculares para oferecer um diagnóstico preciso e tratamento adequado. Entre em contato conosco e marque já a sua consulta

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Quando usar meia de compressão? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

O que é Úlcera Venosa?

Vascular.pro - qui, 05/05/2022 - 13:13

A úlcera venosa, também conhecida como úlcera varicosa, representa um estágio avançado da insuficiência venosa. Doença crônica é caracterizada pela abertura de uma ferida na parte inferior da perna, geralmente na região dos tornozelos, a condição acomete cerca de 1% da população brasileira. Contudo, a incidência da doença tende a aumentar conforme o avanço da idade, atingindo aproximadamente 4% dos idosos acima dos 65 anos.

Como surge a úlcera venosa?

Conforme pontuamos anteriormente, a úlcera venosa é uma doença crônica, causada pela má circulação sanguínea. Na prática, ela acontece por causa da dificuldade do retorno do sangue dos membros inferiores ao coração. Isso, por sua vez, faz com que haja um acúmulo de sangue nas veias, que podem causar inclusive o rompimento dos vasos sanguíneos. 

Com o rompimento, os componentes do sangue causam uma inflamação na pele, que pode culminar na abertura de feridas de difícil cicatrização. Com relação à ferida, ela pode ser indolor, pouco ou bastante dolorida, conforme o seu estágio. Contudo, pode aumentar de tamanho e profundidade caso não seja tratada rapidamente e apresentar outras complicações como apresentação de secreção purulenta, mau cheiro, inchaço, vermelhidão e calor local.

Principais sintomas

Em outra oportunidade, falamos aqui no blog sobre a Dermatite Ocre, condição também provocada pelo mau funcionamento das veias. De acordo com o que explicamos, a Dermatite Ocre é causada por varizes do estágio 4, ou seja, varizes avançadas. 

Se fôssemos definir um estágio para a úlcera venosa, a doença seria então classificada como estágio 6, ou seja, gravíssima. Até mesmo porque ela é precedida pela Dermatite Ocre e os seus sintomas, que incluem:

  • Inchaço e vermelhidão na parte inferior das pernas;
  • Coceira;
  • Descamação, rigidez e atrofia da pele;
  • Rigidez muscular;
  • Aparecimento de manchas amarronzadas ou arroxeadas no local;
  • Surgimento de feridas com a presença ou não de pus.

 

De acordo com a SBACVSP (Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular – Regional São Paulo), a úlcera varicosa não é uma doença fatal e, assim sendo, não causa riscos de morte ao paciente. Todavia, é uma condição que afeta consideravelmente a sua qualidade de vida, impedindo inclusive a realização de atividades rotineiras. 

Tratamentos para úlcera venosa

A úlcera venosa tem cura, mas, por ser uma doença crônica e vascular, é uma condição recorrente se não tratar a origem do problema. O tratamento para o problema é feito por um angiologista, médico especializado que cuida de patologias relacionadas aos vasos sanguíneos e linfáticos.

O tratamento tem como finalidade melhorar a circulação sanguínea, aliviar a dor e o inchaço, promover a cicatrização da ferida aberta e evitar o surgimento de novas úlceras. Para que isso seja possível, o profissional pode recomendar os seguintes procedimentos:

Terapia compressiva

Tratamento não invasivo, consiste no uso de meias de compressão para estimular a circulação local, diminuindo o inchaço, a dor e os riscos de a ferida infeccionar. Graças à melhora circulatória, a terapia compressiva também evita o surgimento de novas úlceras.

Limpeza da úlcera venosa

Além da terapia compressiva, a limpeza do ferimento também faz parte do tratamento. É preciso remover o tecido morto da úlcera varicosa com o auxílio de substâncias específicas para esse fim. Geralmente esse procedimento é feito com a aplicação de soro fisiológico no local para limpar e desinfetar a pele. 

Posteriormente, são aplicadas substâncias como hidrogel ou alginato de cálcio, que promovem uma cobertura capaz de cicatrizar feridas superficiais ou profundas, infeccionadas ou não e com ou sem necrose. Após a aplicação dos medicamentos, a ferida é protegida por um curativo.

Elevação das pernas

Deitar-se com as pernas elevadas a um nível superior ao do corpo também é uma das formas de tratamento para a úlcera varicosa. Prático, simples e funcional, ele consiste em apoiar as pernas sobre travesseiros ou almofadas, para facilitar o retorno do sangue das pernas para o coração.

 

Uso de medicamentos específicos para úlcera venosa

Em alguns casos, o angiologista poderá prescrever medicamentos orais para estimular a circulação sanguínea e ajudar no fechamento da ferida. Ainda, podem ser prescritos analgésicos para aliviar a dor.

Casos em que a cirurgia vascular é necessária

Em casos de úlceras venosas graves e recorrentes, o profissional de saúde pode recomendar tratamentos mais agressivos ou invasivos para sanar o problema e devolver a qualidade de vida ao paciente. Nesse caso, os mais indicados são:

 

Vale a pena destacar que os procedimentos buscam atuar na causa da úlcera venosa, ou seja, nas varizes. Por isso, eles diminuem em até 90% as chances de recidiva e promovem resultados mais rápidos dos que os tratamentos não invasivos. 

Apesar de causarem receio em muitos pacientes, tratam-se de procedimentos simples, indolores e de fácil recuperação. Eles são realizados com o uso de anestesia local ou raquianestesia, que inibe a sensibilidade dos membros inferiores. O pós-cirúrgico é bem tranquilo e inclui repouso durante as primeiras 48 horas da cirurgia e práticas como caminhar para evitar trombose, limpeza das feridas cirúrgicas, alimentação leve e equilibrada.

 

Tratamento e cirurgia de úlcera venosa no Instituto Amato

Conforme apresentamos ao longo deste artigo, a úlcera varicosa tem tratamento e até cura. Ela demanda acompanhamento multidisciplinar de saúde, como consultas regulares a especialidades como angiologia, cardiologia e cirurgia vascular. 

Nesse sentido, o Instituto Amato surge como grande aliado da sua saúde e bem-estar. Há quase 40 anos no mercado, a clínica reúne em um único lugar várias especialidades médicas para que você tenha um tratamento humanizado, assertivo e com excelentes resultados. 

Além dos consultórios médicos, o Instituto Amato conta ainda como um centro de medicina avançada, o Hospital Dia. Trata-se, na verdade, de um centro cirúrgico próprio, equipado com equipamentos de altíssima tecnologia e especializado em procedimentos minimamente invasivos, em que o paciente recebe alta no mesmo dia.

No Hospital Dia, o paciente recebe todos os cuidados pós-cirúrgicos necessários durante um período não superior a 12 horas, em uma modalidade mais conhecida como internação parcial. Após esse período, ele recebe alta, mas continua sendo devidamente acompanhado pela equipe médica especializada. 

Desconfiado que tem úlcera venosa ou não sabe mais o que fazer para tratar o problema? Entre em contato com o Instituto Amato, marque a sua consulta e descubra os melhores tratamentos para melhorar a sua circulação sanguínea, recuperar a sua autoestima e qualidade de vida.

 

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post O que é Úlcera Venosa? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Dor na panturrilha: o que pode ser e como aliviar?

Vascular.pro - sex, 04/29/2022 - 10:13

Provavelmente você alguma vez já sentiu dor na panturrilha, região mais conhecida como batata da perna. Afinal de contas, o incômodo é absolutamente normal após atividades físicas intensas, longas caminhadas ou ficar muito tempo de pé. O problema é quando essa dor se torna frequente mesmo sem ter feito maiores esforços, passando a indicar problemas de saúde.

Confira no artigo a seguir o que pode causar dor na panturrilha e como tratar esse incômodo.

O que é panturrilha?

Para quem não sabe, a panturrilha é uma região que fica localizada na parte inferior da perna, abaixo e atrás dos joelhos. Ela é popularmente conhecida como batata da perna e é composta pelos músculos gastrocnêmio e sóleo, responsáveis pela marcha e pelo amortecimento do corpo durante a caminhada. Além desses músculos, a panturrilha também é composta por tendões, veias e artérias.

Dessa forma, fica fácil perceber que a panturrilha é uma região indispensável ao bom funcionamento do corpo humano e à realização de vários movimentos corriqueiros. Ela ajuda a manter o equilíbrio, a postura, auxilia na caminhada e na flexão plantar. Além disso, facilita os movimentos de sentar, abaixar, levantar e dirigir. 

E como se já não bastassem todas essas funções, a panturrilha também atua na circulação sanguínea, ajudando a bombear o sangue venoso de volta para o coração.

O que pode causar dor na panturrilha?

Vários fatores podem causar dor na panturrilha e é preciso ficar atento a cada um deles. De maneira geral, os sintomas acontecem principalmente por sobrecarga dos músculos, mas a dor na região também pode ser indicativo de problemas mais graves, tais como:

Lesões musculares

As lesões musculares geralmente são causadas pelo excesso de exercícios físicos e podem ter origem no rompimento das fibras musculares, na lesão ou ruptura do tendão de Aquiles e na inflamação dos tendões. Elas podem causar dores intensas, conforme o quadro e a gravidade da situação. 

As lesões musculares podem ser tratadas com o uso de meias de compressão, compressas de gelo, massagem local com pomadas anti-inflamatórias e elevação da panturrilha com o auxílio de um travesseiro ou almofada. No caso do rompimento do tendão de Aquiles, recomenda-se a cirurgia para resolver o problema.

 

Má circulação sanguínea

A má circulação sanguínea também pode causar dor na panturrilha, em intensidades que variam conforme o problema apresentado. Isso porque várias patologias podem ser associadas à falta de circulação sanguínea, algumas mais graves do que as outras. 

Por isso, ao perceber dores persistentes na região, o ideal é procurar ajuda médica para receber um diagnóstico precoce e o tratamento adequado. No caso de problemas vasculares, os mais comuns são:

  • Varizes: veias inchadas e protuberantes, causam sensação de peso na perna, inchaço e vermelhidão local. Os sintomas tendem a desaparecer com repouso, uso de meias de compressão e remédios apropriados;
  • Trombose venosa profunda: coágulo que se forma dentro da veia e impede a passagem do sangue. Causa dores repentinas e agudas na panturrilha, inchaço e edemas. Se não diagnosticada e tratada a tempo, pode levar a pessoa a óbito. Geralmente o tratamento é feito com remédios anticoagulantes.

 

Claudicação intermitente

A claudicação intermitente representa um quadro grave de má circulação sanguínea e pode se manifestar com dor na panturrilha, principalmente após a prática de um exercício físico, ainda que leve. Na prática, trata-se de insuficiência circulatória e de oxigênio na região, causada pelo estreitamento das artérias. O problema atinge aproximadamente 5% da população brasileira e acomete principalmente pessoas entre os 55 e 60 anos de idade.

Em casos mais leves, o tratamento é feito com repouso, uso de medicamentos vasodilatadores e fisioterapia para desobstruir os vasos sanguíneos e aliviar a dor na panturrilha. Contudo, casos de moderados a graves podem necessitar de intervenção cirúrgica, já que se não tratados a tempo podem inclusive causar a amputação das pernas. 

 

Cisto de Baker

O cisto de Baker, por sua vez, é o acúmulo do líquido sinovial nos tendões e bursas da região do joelho. O problema pode causar inchaço local, dor na panturrilha e dificuldades para caminhar. 

Para aliviar os incômodos, ortopedistas e reumatologistas recomendam o uso de meias de compressão, de compressas geladas e fisioterapia. Todavia, diante de sintomas mais agudos, pode ser necessária a intervenção cirúrgica para retirada do cisto.

E por falar em cisto, saiba como é feita a cirurgia de cisto pilonidal em Hospital Dia.

 

Dor na panturrilha por celulite infecciosa

Embora seja mais conhecida como acúmulo de gordura, a celulite também pode se apresentar na forma de uma infecção das camadas profundas da pele. A condição geralmente se manifesta após feridas e cortes cirúrgicos e é causada por bactérias do tipo Streptococcus e Staphylococcus.

A celulite infecciosa também causa dor na panturrilha, vermelhidão, calor e inchaço local. O tratamento geralmente é feito com antibióticos para evitar que as bactérias caiam na corrente sanguínea e causem a morte do paciente.

 

Cãibras

As cãibras estão entre as principais queixas de dor na panturrilha e são causadas pela contração muscular involuntária. Elas são mais frequentes após a prática de atividades físicas intensas e de noite, durante o sono. Após os episódios de contrações, a batata da perna pode ficar dolorida e inchada.

As cãibras podem surgir por causa de desgaste físico, produção de ácido lático e alimentação pobre em sódio e potássio. O tratamento para o problema inclui reeducação alimentar, exercícios físicos para fortalecimento muscular e consumo de suplementos nutricionais.

 

Onde tratar a dor na panturrilha com uma equipe multidisciplinar de saúde?

 

Há quase 40 anos cuidando da saúde das famílias brasileiras, o Instituto Amato possui várias especialidades médicas para você tratar a dor na panturrilha e qualquer outro incômodo que esteja prejudicando a sua qualidade de vida. Nossa equipe médica é composta por cardiologistas, angiologistas, cirurgiões vasculares, fisioterapeutas entre vários outros especialistas para cuidar de vários aspectos da sua saúde em um só lugar.

Em nosso Hospital Dia, oferecemos uma moderna modalidade de internação parcial para procedimentos simples e que dispensam internação hospitalar superior a 12 horas. Por meio de aparelhos de última geração e tecnologia de ponta, oferecemos diagnósticos precisos, confiáveis e realizamos procedimentos minimamente invasivos. A alta hospitalar acontece no mesmo dia e proporciona uma recuperação mais rápida, custos mais acessíveis e baixíssimo risco de infecção hospitalar.

Sentindo dor na panturrilha? Busque ajuda médica, inicie o quanto antes o seu tratamento e recupere a sua saúde com uma equipe especializada. Entre em contato conosco e marque a sua consulta.

 

O post Dor na panturrilha: o que pode ser e como aliviar? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular

Dermatite ocre: mancha nas pernas pode ser vascular?

Vascular.pro - sex, 04/29/2022 - 10:03

Você sofre com manchas marrons na pele, nos membros inferiores? Se sim, saiba que a condição pode significar dermatite ocre, uma inflamação da pele causada pelo mau funcionamento das veias. Nesse caso, a hipertensão venosa pode ser motivada pela falha das vávulas venosas, obesidade, sedentarismo, problemas circulatórios entre outros fatores. Conhecê-los, portanto, é a melhor maneira de combater e tratar o problema antes que a doença progrida de tal forma que atrapalhe a sua qualidade de vida.

De acordo com a SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular), cerca de 38% da população brasileira sofre com varizes, sendo a doença mais frequente em mulheres. Caracterizada por veias dilatadas, deformadas e salientes, as varizes comprometem a estética, causam dores nas pernas e prejudicam a realização de várias atividades do dia a dia. Classificadas em estágios que variam do 1 ao 6, a dermatite ocre é causada por varizes do estágio 4, ou seja, já avançadas. E se não tratadas a tempo, podem causar feridas na pele.

Quer saber como tratar a dermatite ocre, suas causas e consequências? Confira no artigo a seguir como melhorar a sua saúde circulatória com uma equipe especializada e com os melhores tratamentos da atualidade.

 

Dermatite ocre: quando as manchas nas pernas são de origem vascular

Diante de tudo o que já foi exposto até aqui, fica fácil perceber que apesar do nome, a dermatite ocre não se trata apenas de um problema de pele. Absolutamente! Apesar das manchas escurecidas nos membros inferiores, a condição na verdade é provocada pela insuficiência venosa

Nesse cenário, o mau funcionamento das veias causa a hipertensão venosa, em que o sangue fica represado na região inferior das pernas. A pressão local então lesiona os vasos sanguíneos e os elementos do sangue extravasam e se fixam na pele, causando irritação e uma hiperpigmentação de cor amarronzada, que geralmente aparece nos tornozelos. Ao modificar a constituição da pele, a dermatite ocre deixa o tecido suscetível a feridas como úlcera varicosa.

 

Mas por que surgem as varizes?

As varizes podem surgir por vários motivos. Embora o sedentarismo e a obesidade sejam os mais comuns, existem outros que de igual forma contribuem para o surgimento do problema:

  • Predisposição genética;
  • Síndrome pós trombótica.

Ao perceber vasinhos ou veias dilatadas e aparentes sob a pele, o ideal é buscar ajuda médica. Nesse caso, é necessário procurar um angiologista, profissional especializado que cuida de alterações nas veias, artérias e vasos linfáticos. Quanto antes obter um diagnóstico para o problema, maiores são as chances de evitar a dermatite ocre entre outras complicações.

 

Sintomas

Além da identificação das causas da dermatite ocre, que são o aparecimento de vasinhos e veias dilatadas, outros sintomas também podem ajudá-lo a identificar o problema, tais como:

  • Inchaço e vermelhidão na parte inferior das pernas;
  • Coceira;
  • Descamação da pele;
  • Hiperpigmentação local (manchas de cor marrom ou arroxeadas);
  • Calor local;
  • Rigidez da pele e da musculatura;
  • Feridas na pele.
Tratamento de dermatite ocre

Uma vez instalada, a dermatite ocre vira uma doença crônica e como tal, não tem cura, mas tem tratamento. Ele consiste primeiramente em tratar as varizes, que é a causa do problema. Afinal de contas, de nada adianta tratar as manchas nas pernas e não tratar a insuficiência venosa. Caso isso aconteça, existe uma grande probabilidade de as manchas voltarem. E bem mais intensas.

O tratamento das varizes geralmente é feito com medicamentos que melhoram a circulação sanguínea. Todavia, dependendo da gravidade, pode ser necessária a intervenção cirúrgica. Após tratada a causa, podem ser adotados alguns procedimentos para clarear as manchas nas pernas e deixar a pele mais uniforme, como por exemplo:

  • Cremes clareadores com ação despigmentante;
  • Peelings;
  • Luz intensa pulsada;
  • Tratamento com laser.

Vale a pena destacar que com o tratamento da causa, ou seja, as varizes, já é possível observar uma boa melhora nas manchas de dermatite ocre. Contudo, o tratamento clínico específico para esse fim produz melhores resultados. Porém, cabe ressaltar que dependendo do grau de escurecimento da mancha, o tratamento pode apenas amenizar o problema e não clareá-la por completo.

 

Melhor tratamento é a prevenção

Conforme pontuamos anteriormente, a dermatite ocre é uma doença crônica e após instalada não tem cura. E é justamente por isso que o melhor tratamento para o problema é a prevenção das varizes, principalmente quando o fator genético não está envolvido. Confira a seguir algumas dicas para evitar varizes:

  • Evitar ficar sentado ou em pé por muito tempo;
  • Manter o peso sob controle;
  • Evitar alimentos ultraprocessados e gordurosos;
  • Em caso de má circulação, o uso de meias de compressão pode ser uma boa alternativa;
  • Elevação dos membros inferiores e repouso em casos de dores nas pernas;
  • Uso de medicamentos para melhorar a circulação e a pressão venosa.

 

Onde tratar a dermatite ocre com uma equipe especializada?

No Instituto Amato você encontra os melhores angiologistas, cardiologistas, cirurgiões vasculares e demais especialidades médicas para tratar doenças nos vasos sanguíneos e linfáticos, como varizes e obstruções arteriais

Para oferecer melhores resultados no seu tratamento, possuímos também em nossa equipe médica dermatologistas, profissionais que cuidam de várias doenças que acometem a pele. Assim, após tratar as varizes, você poderá clarear as manchas nas pernas em um só lugar, por meio de tratamentos modernos e tecnológicos.

Além de equipe multidisciplinar de saúde, o Instituto Amato possui uma clínica médica própria, o Hospital Dia. Com o auxílio de um moderno sistema de internação parcial, realizamos procedimentos de baixa complexidade como cirurgias de varizes com laser, secagem de vasinhos (escleroterapia) entre muitos outros.

Nessa modalidade hospitalar, o paciente recebe alta no mesmo dia, o que favorece a sua recuperação e diminui os riscos de infecção e complicações hospitalares. Além disso, torna os tratamentos mais acessíveis e humanizados. 

Quer tratar a dermatite ocre com uma equipe médica que há quase 40 anos cuida da saúde das famílias brasileiras com ética, respeito e principalmente competência? Entre em contato conosco e marque já a sua consulta.

Prof. Dr. Alexandre Amato

O post Dermatite ocre: mancha nas pernas pode ser vascular? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Vascular
Subscrever Curso OsiriX agregador